Por marcello.victor
Publicado 19/03/2015 07:24 | Atualizado 19/03/2015 11:32

Rio - O Portal dos Procurados divulgou nesta quinta-feira o cartaz com a foto de Cleiton Moura de Souza, acusado de participar de um estupro coletivo contra uma jovem, de 18 anos, que tinha problemas de transtorno bipolar e esquizofrenia, na comunidade do Quitungo, em Brás de Pina. A recompensa por informações que levem a sua prisão é de R$ 1 mil. As imagens do estupro foram enviadas para o celular do pai da vítima, através do aplicativo Whatsapp, que procurou a polícia.

LEIA MAIS: Criminosos filmaram estupro coletivo de menina com problemas mentais

Cleiton Moura de Souza é procurado pelo estupro de uma jovem com problemas mentaisDivulgação

De acordo com o delegado titular da 27ª DP (Vicente de Carvalho), Felipe Curi, o estupro aconteceu na casa de Victor Pereira dos Santos e o responsável pela filmagem foi Widney da Silva Santos. Ambos já estão presos. Ainda de acordo com a polícia, os presos prestaram depoimento e confessaram o crime. Também estão presos Kelvin Cristóvão de Lima e um menor de 17 anos. 

Após analisarem a filmagem, os agentes iniciaram a investigação e identificaram todos os envolvidos. Além de Cleiton, um outro adolescente que participou do estupro também está foragido. Diligências estão sendo realizadas em conjunto com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) para encontrar a vítima, que está desaparecida.

De acordo com Felipe Curi, diligências estão sendo realizadas em conjunto com a Delegacia de Descoberta de Paradeiros para encontrar a vítima, bem como para prender os outros dois foragidos. O mandado de prisão temporária de Cleiton Moura de Souza, expedido pela 23ª Vara Criminal da Capital, se refere ao crime de estupro de vulnerável.

Todas as informações sobre o procurado estão sendo encaminhadas para a 27ª DP, encarregada do caso. Quem tiver alguma informação a respeito da localização e paradeiro de Cleiton Moura de Souza pode enviar uma mensagem de texto, vídeo ou fotos para o aplicativo de mensagens do WhatsApp do Portal dos Procurados (21) 96802-1650, ou entrar em contato com a Central Disque-Denúncia pelo (21) 2253-1177 ou 0300-253-1177, para quem estiver fora da capital. O Anonimato é garantido.

Você pode gostar