Governo do estado quer antecipar obras da Ponte

Concessionária que assume em junho tem até 2020 para concluir projetos, mas secretário de Transportes quer iniciar intervenções em 2015

Por O Dia

Rio - O governo do Rio quer que as três maiores obras exigidas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) à EcoRodovias, vencedora do leilão de licitação da Ponte Rio-Niterói, comecem, todas juntas, já no segundo semestre deste ano. Assim, a alça de ligação com a Linha Vermelha, a Avenida Portuária (via para acesso de caminhões ao Porto do Rio) e o mergulhão em Niterói (sob a Praça Renascença) seriam construídos ao mesmo tempo que outras grandes intervenções, como a revitalização da Zona Portuária e o BRT Transbrasil.

A nova concessão, à EcoRodovias, tem duração prevista de 30 anosDivulgação / CCR Ponte

O pedido foi feito pelo secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, ao comando da companhia, que assume a Ponte em junho. Segundo ele, a concessionária pode iniciar as obras até o ano que vem, mas o governo quer antecipar o processo para estimular as atividades econômicas na Região Metropolitana e no Porto — um dos maiores arrecadadores de ICMS do estado —, num momento de queda na receita de royalties. A primeira resposta à ideia foi favorável.

“A competitividade é fundamental nesse momento de aperto financeiro. Convidamos a EcoRodovias para uma reunião na primeira quinzena de abril. Vamos discutir o que será viável para a concessionária. Conversei com o presidente quarta-feira, que viu a antecipação com bons olhos, porque as obras vão melhorar o trânsito nos acessos da Ponte e poderão gerar um fluxo maior”, diz Osório, acrescentando que os projetos estão avançados e que as obras não necessitam de licitação, já que serão feitas por empresa privada.

Professor de mobilidade e logística da UFF, Aurélio Murta prevê nó no trânsito com as obras simultâneas. “Estamos falando da única ligação rodoviária utilizada entre Rio e Niterói. São obras necessárias, mas precisam de planejamento, sem correria”, opina. “Ainda faltam os licenciamentos ambientais e a execução dos projetos executivos. Dependendo das desapropriações, isso demora”, ressalta o engenheiro de transportes Alexandre Rojas, da Uerj. Já Osório afirma que apenas o encaixe do viaduto da Linha Vermelha exigirá uma pequena interdição na Ponte e não estima prejuízos ao fluxo.

Pelas regras do edital, o mergulhão em Niterói precisa ser entregue até junho de 2017; o viaduto da Linha Vermelha, até 2018; e a Avenida Portuária, 2020. O secretário avisa que, mesmo se forem antecipadas, nenhuma das obras ficará pronta até a Olimpíada. A EcoRodovias não quis comentar o assunto. O pedágio cairá para R$ 3,70 em 1º de junho.

Últimas de Rio De Janeiro