Mulher morta por bala perdida queria deixar o Alemão por conta da violência

Viúvo diz que mulher sempre sentava com amigos na porta de casa. Grupo pode ter sido confundido com usuários de droga

Por O Dia

Rio - Uma das mais recentes vítimas de bala perdida no Rio, Vanessa Aparecida de Abcassis, de 38 anos, pensava em deixar o Complexo do Alemão por conta da escalada de violência na região que conta com a presença de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Segundo o marido da vítima, Nilson Borges dos Santos, de 40 anos, os dois estudavam esta possibilidade. "Nós vinhamos pensando em se mudar daqui justamente por causa da violência, ai agora acontece isso?", desabafou. 

LEIA MAIS: Policiamento é reforçado no Alemão

Vanessa%2C 38 anos%3A tiro nas costasDivulgação

O operador de identificação disse que sua mulher tinha o hábito de sentar sempre com os seus amigos na porta de casa, assim como aconteceu no dia da tragédia.

"Ela estava sentada na porra de casa, como faz todos os dias. Uma coisa posso dizer: não foi bala perdida. Atiraram em direção a minha mulher, pois acredito que possam ter confundido o grupo de amigos dela com um grupo de usuários de drogas que ficam próximo da minha casa. Não posso afirmar que foi a polícia, mas pouco importa, minha mulher está morta."

Vanessa deixa o marido e dois filhos, um de 19 anos e outro de 16, que tem paralisia cerebral.

"Perdi meu grande amor, era minha parceira, minha amiga, dava tudo por ela. Ela deixou meus dois filhos, o que será deles agora?" lamentou. 

O corpo de Vanessa permanece no Instituto Médico Legal (IML). O enterro deve ser realizado neste sábado, no Cemitério de Inhaúma, com o horário ainda a ser definido.

Últimas de Rio De Janeiro