Prefeitura remove 58 imóveis na região da Vila Autódromo

As residências passam a ser consideradas bens de utilidade pública e o valor da indenização será definido pela Justiça

Por O Dia

Rio - A prefeitura publicou dois decretos que desapropriam 58 imóveis na região da Vila Autódromo. Agora as residências passam a ser consideradas bens de utilidade pública e o valor da indenização será definido pela Justiça. Os proprietários que têm casas e comércios na lista que consta no ‘Diário Oficial’ não entraram em acordo com o município. Os moradores fizeram uma reunião, no período da noite, para discutir o que será feito. Eles disseram que foram surpreendidos com os decretos.

Das 583 famílias que viviam na Vila Autódromo, 280 estavam na faixa que passará por obras de canalização de rios e duplicação das avenidas Salvador Allende e Abelardo Bueno.A prefeitura ofereceu apartamentos de dois e três quartos, no Parque Carioca, condomínio localizado a um quilômetro da comunidade. Os moradores da comunidade também puderam optar pela indenização.

Das 280 famílias que estão no traçado da obra, 204 optaram pelo imóvel no Parque Carioca. As demais estavam em negociação com a prefeitura. Dos moradores que não serão diretamente afetados pela obra, 172 famílias pediram à prefeitura para sair da comunidade e também foram reassentadas. Nesse grupo, 140 foram para o Parque Carioca e outras 32 optaram pela indenização.

Ontem pela manhã, pelo menos 40 famílias foram retiradas de um terreno que seria público na Rua João Alvares 18, na Gamboa. Pela segunda vez, o espaço, onde foram construídas diversas casas, é desapropriado. Segundo moradores, os representantes da prefeitura não apresentaram nenhuma ação de despejo. A Defensoria Pública do Estado acompanhou a ação.

“Houve invasão em 2010, e as pessoas foram retiradas no fim do ano. Há dois anos, novas famílias vieram morar aqui. Só que agora, eles chegaram expulsando”, informou Vanderleia Souza, 48, representante das famílias.

Últimas de Rio De Janeiro