Bando ‘vendia’ carro zero mais barato mas não entregava

Golpe era dado dentro de concessionária

Por O Dia

Rio - Comprar um carro zero, modelo ix35, da Hyundai, de R$ 93 mil por R$ 74,5 mil, levou um cliente da Caoa do Brasil, na Barra da Tijuca, a ficar a pé. O desconto de 22% foi oferecido por grupo que atuava dentro da loja, em 2012. Ele entregou Fiat Stilo Sporting, avaliado em R$ 35 mil, e a diferença de R$ 39,5 mil, foi parcelada em 48 vezes. Mas nunca recebeu o veículo.

O negócio da China incluía receber o valor em dinheiro ou um carro usado como entrada. Para aparentar legalidade à transação, a gangue emitia até notas fiscais da empresa dos automóveis ‘vendidos’. Foram identificadas 24 vítimas do golpe.

Como a coluna ‘Justiça e Cidadania’ publicou ontem, 13 acusados foram denunciados por estelionato e formação de quadrilha pelo promotor Cláudio Varela, da 7ª Promotoria de Investigação Penal, à 28ª Vara Criminal. As penas variam de um a cinco anos de detenção. Com as fraudes, o grupo teria conseguido R$ 700 mil em dinheiro e mais R$ 400 mil em carros usados, dados como entrada. “Como eles usavam uniformes da empresa e emitiam notas ficais dos carros vendidos, o negócio tinha aparência de ser legal. O que levava as vítimas ao erro”, explicou Cláudio Varela.

Segundo a denúncia, Márcio Sabio Pires era o principal chefe do bando. Ele se apresentava como gerente e proprietário da concessionário. Para convencer os clientes a adquirir os carros com preços mais baixos, alegava ser dono de locadora de veículos com frota de 1.200. E, por isso, conseguia descontos de até 45% da Hyundai.

Procurada pelo DIA, a concessionária informou que não vai se pronunciar. O advogado de um dos réus, Arlei da Costa argumentou que não fala em de processos em tramitação. Os outros defensores não foram localizados.

Últimas de Rio De Janeiro