Coordenadoria de Polícia Pacificadora confirma morte no Complexo do Alemão

Divisão de Homicídios da Capital investigará morte de homem durante confronto entre policiais e bandidos nesta terça-feira

Por O Dia

Rio - Até o início da tarde desta terça-feira, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CCP) dizia não ter informações sobre feridos no confronto ocorrido no Complexo do Alemão, envolvendo criminosos e policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local, no entanto, na manhã desta quarta-feira, o órgão confirmou uma morte na comunidade.

No último sábado, a moradora Vanessa Abicassis, 38, foi morta na porta de casa com dois tirosDivulgação

De acordo com a CCP, os policiais da UPP não socorreram e nem constataram nenhuma vítima no episódio de imediato. Entretanto, posteriormente, um homem deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão e faleceu.

A Divisão de Homicídios da Capital (DH) esclaresceu que o morto na comunidade é um adolescente de 16 anos. De acordo com a Polícia Civil, um inquérito foi instaurado para investigar as circunstâncias do homicídio do jovem, que já foi encontrado morto na UPA do Alemão. "Familiares e testemunhas estão sendo chamados para prestar depoimento e o boletim de atendimento médico do jovem já está sendo solicitado", disse a DH.

O confronto, de acordo com a coordenadoria, ocorreu na manhã desta terça-feira, numa localidade conhecida como Chuveirinho. Policiais da UPP Alemão contam que patrulhavam a região quando, quando se depararam com bandidos armados que efetuaram disparos contra eles. Os militares afirmam que, após confronto, os criminosos conseguiram fugir.

O episódio desta terça-feira deixou moradores do conjunto de favelas da Zona Norte apavorados. Pelo Whatsapp do Dia (98762-8248), foi relatado que uma mulher e uma criança de aproximadamente 10 anos haviam morrido após serem atingidos por disparos, no entanto, somente a morte do adolescente foi confirmada.

De acordo com os relatos, a mulher teria sido atingida por uma bala no peito. Um morador que preferiu não se identificar falou que populares tentaram prestar socorro às vítimas, porém elas teriam sido retiradas do local por policias e levadas já mortas à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alemão.

O teleférico, responsável pelo transporte de moradores na comunidade, ficou inoperante, das 9h30 às 11h20, segundo a SuperVia, devido a motivo de segurança pública. Também pelo WhatsApp do DIA, populares reclamaram da insegurança na comunidade.

"Isto aqui está impossível. Sempre ocorrem tiroteios na hora que o trabalhador está saindo de casa, na hora que as crianças estão indo para a escola", contou um morador que preferiu não se identificar.

Tiroteio para o teleférico e moradores relatam mortes no Complexo do Alemão

Morta após ser baleada na porta de casa

No último sábado, foi enterrado no Cemitério de Inhaúma, o corpo da dona de casa Vanessa Aparecida de Abicassis, de 38 anos. Moradora do Complexo do Alemão, ela foi atingida por dois tiros na última quinta-feira, na porta de casa, enquanto conversava com um vizinho.

Um parente de Luiz Carlos, vizinho da dona de casa, que preferiu não se identificar, contou que Vanessa estava assistindo a um vídeo no celular do vizinho quando foi alvejada. Ferido de raspão na cabeça, Luiz falou que os tiros vieram de uma mata onde estavam policiais da UPP.

Vanessa Abicassis foi morta na porta de casa enquanto conversava com um vizinho%2C no Complexo do AlemãoCacau Fernandes / Agência O Dia

Ela deixou o marido, Nilson, com quem era casada há 20 anos, e dois filhos. Um de 19 anos e outro de 16, que sofre de paralisia cerebral.

Vanessa foi a 40ª vítima de bala perdida somente este ano, no Rio de Janeiro, o que representa média de uma vítima a cada dois dias.

A Divisão de Homicídios está investigando o caso e uma possível participação de policiais da Unidade de Polícia Pacificadora na morte de Vanessa.

Últimas de Rio De Janeiro