Relator da CPI da Petrobras acredita que a comissão está 'engessada'

Deputado Luiz Sérgio (PT-RJ) considera que investigação deva ser ampliada e diz que Youssef é 'Banco Central do crime'

Por O Dia

Rio - Os próximos passos da CPI da Petrobras vão deixar mais evidente a queda de braço entre seus integrantes. A oposição foca na estatal, mas governistas querem ampliar as investigações para mostrar que empreiteiras citadas no escândalo estão envolvidas em casos de corrupção em diversos estados.

“A CPI está engessada”, reclama seu relator, o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ). Diz que o doleiro Alberto Youssef não atuava apenas em casos que envolviam a Petrobras. “Ele é o Banco Central do crime”, acusa.

Goleada
A oposição tem pautado a CPI. Os petistas sequer conseguiram aprovar o envio dos 20 maiores contratos das empreiteiras ligadas ao escândalo. Outra derrota foi a antecipação, para o dia 9 — às vésperas de outras manifestações contra o governo —, do depoimento do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

Bico fechado
Petistas vão tentar ouvir Youssef e empresários, mas temem que, por conta da delação premiada, muitos prefiram ficar calados.

Rato na Câmara
Deu rato na Câmara Municipal. Ontem, um roedor passou correndo pela recepção do prédio e assustou funcionárias, que chegaram a subir em cadeiras. O caso terminou impune, já que o bicho conseguiu escapar.

A cor dos PMs
Ex-comandante da PM, Ubiratan Ângelo critica quem acusa a corporação de exterminar negros. Ressalta que ninguém procura saber a cor de PMs que são mortos. Diz que a maioria é de negros como ele.

Desafinou
A queda nos royalties respingou no festival de Jazz de Rio das Ostras. Com a verba cortada pela metade, a edição de 2015 vai durar apenas um fim de semana (antes eram dois).

Últimas de Rio De Janeiro