Por clarissa.sardenberg

Rio - O corpo de Elizabeth Alves, de 41 anos, está sendo velado desde às 10h da manhã desta sexta-feira em uma capela do cemitério de Inhaúma, na Zona Norte do Rio. Elizabeth foi morta por uma bala perdida na última quarta-feira no morro do Alemão. O enterro está marcado para as 13h desta sexta.

Elizabeth estava dentro de sua casa, junto com a filha Maynara Moura, que também ficou ferida, mas está fora de perigo, quando foi atingida pela bala perdida. A mulher foi socorrida por vizinhos, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Segundo o marido de Elizabeth, Carlos Roberto Francisco, de 59 anos, os policiais que participaram da ação na favela eram despreparados e atiraram a esmo durante a troca de tiros.

Marido de Elizabeth Alves de Moura Francisco esteve na manhã desta quinta-feira no IML. Ele disse que PMs de UPP são despreparadosSeverino Silva / Agência O Dia

"Ele viu alguém subindo pra cima da laje e minha casa fica a um metro e meio para baixo da rua. A verdade é que ele nem viu. Segundo meu vizinho, ele botava o revolver pra dentro do beco e dava tiro lá para dentro. Não foi uma autoridade, minha esposa estava deitada no chão e o meu filho falou que o policial desceu e disse assim 'corre ai gente, arruma um carro particular para levar ela para o hospital'. A pessoa não tava preparada", declarou sobre a ação policial.

No mesmo dia, três pessoas morreram e outras três ficaram feridas em tiroteios entre policiais e traficantes no Complexo, segundo informou a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Moradores se desesperam na tentativa de salvar Elizabeth%2C baleada no Complexo do AlemãoReprodução Internet


Você pode gostar