Primeiras Escolas do Amanhã vão ser entregues em julho

Unidades de turno único já são chamadas de ‘Paezão’, em referência aos Cieps de Brizola

Por O Dia

Rio -Trinta anos após a inauguração do primeiro Ciep, durante o governo de Leonel Brizola, o Rio de Janeiro ganha, em julho, as primeiras 19 escolas de turno único de sete horas erguidas no campus da Maré pelo programa Fábrica de Escolas do Amanhã. A meta da rede municipal é construir 136 unidades para atender 127 mil estudantes até 2016. Em vez do antigo ‘Brizolão’, como ficou conhecido o espaço idealizado por Darcy Ribeiro, as escolas do prefeito Eduardo Paes já estão sendo chamadas em algumas redes sociais de ‘Paezão’.

Segundo a secretária municipal de Educação, Helena Bomeny, as novas escolas modernizam o conceito de horário integral adotado no Ciep , melhorando a relação entre alunos e professores.

As Escolas do Amanhã oferecerão sete horas diárias de aulas%3A meta da rede municipal é construir 136 unidades para atender 127 mil alunosReprodução

“A ideia do Ciep era boa, mas havia problemas: muitos professores se licenciavam com problemas nas cordas vocais porque era preciso falar alto para conseguir ser ouvido pelos alunos. O som de uma sala invadia a outra. Além disso, os alunos tinham meio período de aula e o restante do tempo ficavam ociosos nas escolas”, avalia a secretária.

Pelo novo modelo, que atenderá da creche ao 9º ano, as salas de aula serão climatizadas e os alunos terão sete horas diárias de aulas. Haverá dois tempos extras de atividades opcionais. Os alunos terão mais tempo de Português, Matemática e Ciências, e os professores vão lecionar 40 horas por semana.

“As escolas são construídas em módulos e ficam prontas em dez meses. Em agosto, as da Maré já estarão funcionando”, diz a secretária de Educação, Helena Bomeny. Ao todo, mais de dez mil crianças serão atendidas. Batan, Jacarezinho e Manguinhos também serão áreas beneficiadas.

Uma das unidades em construção no Complexo da Maré%2C que será o primeiro local a receber as escolasDivulgação

O ensino público em tempo integral é uma lição adotada há bastante tempo pelos países asiáticos, líderes nos rankings mundiais de Educação. A equação é bem simples: quanto mais tempo debruçado sobre livros em sala de aula, maior o aprendizado.

Alunos das escolas da Prefeitura do Rio que estudam sete horas por dia tiveram desempenho superior aos colegas que passam metade desse tempo em frente ao quadro-negro. O resultado do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que mede a qualidade do ensino no Brasil, revela avanço de 51,5% entre os alunos de 6º ao 9º ano das escolas de turno único. Nessas unidades, o Ideb passou de 3,5, em 2009, para 5,3, em 2013. Das 1.457 escolas, só 171 atendem em horário integral.

Últimas de Rio De Janeiro