Braço-direito do traficante Playboy é morto durante fuga

Vanilson Venâncio Gomes, o Tida, tentava deixar o Morro da Pedreira, em Costa Barros, durante operação da Polícia Militar

Por O Dia

Vanilson Venâncio Gomes%2C o Tida%2C morreu nesta quarta-feira ao tentar fugir do Morro da Pedreira. O Disque-Denúncia oferecia R%24 10 mil por informações sobre seu paradeiroDivulgação / Disque-Denúncia

Rio - Apontado como braço direito do traficante Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, Vanilson Venâncio Gomes, o Tida, de 39 anos, morreu após uma perseguição policial na Rua Caratinga, em Honório Gurgel, na manhã de quarta-feira. Segundo a Polícia Militar, o Voyage pilotado pelo criminoso, com três comparsas, bateu na viatura do 9° BPM (Rocha Miranda) e o bandido, que também teria sido atingido, morreu preso às ferragens. Um fuzil 7.62 e um capacete do Exército foram apreendidos.

O tenente-coronel Roberto Garcia, comandante do 9º BPM, disse que Tida, ligado à facção Amigos dos Amigos (ADA), e outros três traficantes, entre eles um menor de 17 anos, estariam fugindo do Morro da Pedreira, onde a Polícia Civil realizava uma incursão. O destino seria a Favela Proença Rosa, reduto da ADA. “Por ter encontrado apenas uma arma de grande porte com quatro suspeitos, penso que eles estavam deixando a Pedreira para buscar refúgio até a polícia desocupar a área”, frisou o oficial.

Após o carro dos traficantes colidir na viatura, os três comparsas de Tida atiraram contra os agentes, que revidaram. Ninguém ficou ferido e o trio foi conduzido para a 29ª DP (Madureira). Entre os presos, estava o irmão do criminoso, identificado como Vanderson Venâncio Gomes, o Vandinho, também procurado pela polícia. Em 2008, o criminoso recebeu o benefício do regime semiaberto e não voltou para a cadeia. Contra ele havia um mandado um mandado de prisão por roubo.

Vandinho e Italo dos Santos Braz foram autuados em flagrante por formação de quadrilha, receptação, porte de arma e tentativa de homicídio. Um menor de 17 anos foi apreendido pelos mesmos crimes. As circunstâncias da morte de Tida estão sendo investigadas. As armas dos PMs apreendidas.

Tida, que estava foragido desde 2008, também é acusado de participar, em 2013, da tentativa de resgate ao traficante Alexandre de Melo Bandeira, o Piolho. Nas redes sociais, pessoas das comunidades dominada pelo ADA disseram estar de luto. “Saudade eterna, Tida”, escreveu um internauta.

Os três presos%2C entre eles um menor%2C no confronto em que morreu TidaDivulgação

Na operação no Morro da Pedreira, a Polícia Civil apreendeu 26 veículos irregulares, três caminhões com cargas, entre elas, parte de uma carga de medicamentos anti-HIV, roubada na semana passada. Dois suspeitos foram presos, um com mandado de prisão pendente. Um local que funcionava como desmanche de veículos foi fechado.

Últimas de Rio De Janeiro