Central única integrará dados da rede pública de Saúde

Expectativa é melhorar o atendimento até os Jogos Olímpicos

Por O Dia

Rio - Uma central única de controle e regulação de serviços de saúde. Essa é a meta dos órgãos de fiscalização federais, estaduais e municipais que integram a Rede de Controle da Gestão Pública do Rio ao lançar ontem o Pacto pela Regulação do Acesso aos Serviços de Saúde (Pra Saúde).

O projeto visa a construir um banco de dados único com as informações sobre hospitais, médicos, leitos, centros cirúrgicos, UTIs e equipamentos disponíveis nas redes de saúde federal, estadual e municipais. A meta é que até os Jogos Olímpicos no ano que vem seja possível integrar todos os dados em um único sistema, que auxilie também a oferta de serviços para a população, substituindo os atuais sistemas descentralizados.

“Municípios, estado e união precisarão agir conjuntamente, de forma orquestrada e complementar. Respeitando, assim, as condições econômicas de cada um para a acabar com a peregrinação de pacientes e as intermináveis filas”, afirmou o presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Jonas Lopes.

Na primeira etapa, nos próximos 30 dias, os municípios, o estado e a união vão informar aos tribunais a oferta de serviços públicos de saúde disponíveis. A partir disso, os dados serão padronizados e reunidos para a disponibilização pública. Além disso, funcionários do TCE já trabalham para padronizar os sistemas.

Há no estado 157 hospitais (96 municipais, 38 estaduais e 23 federais), com um total de 26.161 leitos, de acordo com as dados do Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde (CNES) do Ministério da Saúde.

Últimas de Rio De Janeiro