'Ninguém planeja um assassinato em voz alta', publicou acusado por morte

Rafael Valladão, suspeito de matar Beatriz Cardoso, de 17 anos, postou a mensagem em seu perfil do Facebook em 2012

Por O Dia

Rio - Acusado do assassinato da adolescente de 17 anos Beatriz Cardoso, encontrada morta num canal em Oswaldo Cruz, no fim de março, na Zona Norte do Rio, Rafael Valladão, a última pessoa a falar com a vítima, publicou no Facebook, em outubro de 2012, a seguinte mensagem: "Nunca confunda meu silêncio com fraqueza. Ninguém planeja um assassinato em voz alta". 

Acusado de assassinato disse que ninguém planeja o crime em voz altaReprodução Facebook

Informações sobre acusado de matar jovem na Zona Norte valem R$ 2 mil

Rafael Valladão é acusado de matar a estudante BeatrizDivulgação

O Portal dos Procurados oferece uma recompensa de R$ 2 mil por informações sobre Rafael. Um cartaz foi lançado para ajudar na identificação do suspeito.  Policiais da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) fazem diligências para tentar localizar o homem.

No último dia 31 de março, Beatriz trocou mensagens por WhatsApp com Rafael quando desapareceu. Reproduções da conversa, disponibilizadas pelos parentes, mostram que um amigo da adolescente, agendado no celular dela como ‘Rafael Valladis’, combinou de buscá-la em casa para levá-la a uma academia em Madureira.

Quase três horas após Beatriz sair, Rafael escreveu pela última vez: “Passei lá, mas você não atendeu. Acabei indo embora...”. A família acredita que ele enviou a última mensagem, às 22h59, para despistar as investigações.

O corpo de Beatriz foi encontrado nas águas de um canal, na Rua Conde de Linhares, em Oswaldo Cruz. A jovem foi sepultada no último sábado, no Cemitério do Cachambi e na ocasião, os pais da jovem pediram que o autor do crime receba “punição severa”.


Últimas de Rio De Janeiro