Por felipe.martins

Rio -  O Rio perdeu um de seus mais importantes cidadãos, ligados à história carioca da música, do samba e principalmente da Lapa. Morreu Lefê Almeida, compositor, defensor ferrenho de um Carnaval de rua mais romântico. Lefê nos deixou sambas antológicos, compostos para o Imprensa Que Eu Gamo, Meu Bem Volto Já, Bloco de Segunda, e muito especialmente para o Simpatia É Quase Amor, bloco pelo qual nutria um amor descomunal. Vai deixar muita saudade. A missa de sétimo dia é nesta sexta-feira, às 17h30, na Igreja Nossa Senhora da Paz.

PRAÇA COM GRAÇA

Eles anunciam que vão ocupar a Praça Bandeira com arte e com graça. No sábado à tarde, a partir de17h, três festas se juntam na praça recém inaugurada. Retropicália, Cadê Tereza e Disritmia fazem evento gratuito, com muita música brasileira, para colocar a galera para dançar. Palmas para o projeto do coletivo Manifesta Ocupa Tijuca, Você Praça Eu Acho Graça.

CASA DO CHORO

Faz sucesso em Roterdã, na Holanda, a ‘Choro School’, filial da Escola Portátil de Música, criada há 15 anos no Rio por Luciana Rabello e Mauricio Carrilho e que formou mais de 10 mil músicos. Agora, Marijn van der Linden, fundador da escola holandesa, virá ao Rio em 25 de abril para a inauguração da Casa do Choro — que abrigará atividades da Escola Portátil — e para participar do VI Festival Nacional de Choro.

PARA MENINOS E MENINAS

Durante o fim de semana, uma programação especial para jovens e adolescentes na Biblioteca Parque de Manguinhos, no Programão Carioca. A partir das 16h, serão apresentadas gratuitamente as peças Sintonia Suburbana, no sábado, e #Meninos e Meninas (foto), no domingo. Haverá também exibição dos filmes Desenrola e Confissões de Adolescente. Para dar início às atividades, o grupo Manguinhos em Cena, formado por moradores da Maré, sobe o palco para apresentar o espetáculo Sintonia Suburbana.

Peça Meninos e Meninas está na programação especialMariana Ares

ALDEIA POÉTICA

A edição de abril do Sarau do Escritório — espaço já consagrado de experimentação artística na Lapa que abre caminho para encontros de agentes de vários territórios — será uma celebração à cultura indígena brasileira. Na quinta-feira, dia 16, produtores culturais, artistas, poetas vão transformar a Praça João Pessoa em uma aldeia poética. Além dos espetáculos inscritos, o palco é aberto e o público é convidado a interagir do começo ao fim.

QUALQUER MANIFESTAÇÃO cultural com mais de dois anos de atividade agora poderá se declarar Ponto de Cultura. Entrou em vigor a Lei Cultura Viva, para fortalecer redes de gestão cultural. Existem mais de 100 mil grupos culturais no Brasil que poderão ser beneficiados.

CONFETES

Um ano da festa Bless no sábado no Bola. Para comemorar, selo com a marca da festa será lançado, para mostrar um reggae mais atual e mais brasileiro, segundo Pedro Loty, um dos produtores. Na mesma noite, lançamento do primeiro EP em vinil “quadrado” – isso mesmo! – do artista de reggae e dancehall Victor Bhing I.

Tem Baile Black Bom sábado  à noite na Pedra do Sal. A banda Consciência Tranquila vai fazer mais uma vez uma viagem pela soul music, pelo R&B, Hip Hop e outros ritmos muito dançantes, na festa de rua mais cheia de suingue da cidade.

A Escola de Cinema Darcy Ribeiro exibe sábado , às 14h, o filme ‘A hora do lobo’, de Ingmar Bergman, na Mostra Caminhos do Fantástico. Serão exibidos 13 filmes até 20 de junho, sempre aos sábados, a partir das 14h, com entrada franca.

Os cem anos de Billie Holiday serão comemorados no Rio por um grupo de artistas importantes da cena do jazz carioca, entre eles Folakemi Adelakun de Souza na voz, Sergio Barrozo no contrabaixo, Adrian Barbet II no piano, Fernando Trocado no sax e Roberto Rutigliano.

Coluna de Rita Fernandes

Você pode gostar