Por adriano.araujo

Rio - Policiais da Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) do Rio prenderam em São Paulo, na tarde desta quinta-feira, um homem acusado de aplicar o golpe conhecido como 'Boa Noite Cinderela' contra um turista espanhol homossexual, em março deste ano, no bairro do Catete, na Zona Sul carioca. Foragido da Justiça desde 2013, Rogério Soares Schmidt, de 44 anos, foi localizado no bairro oriental da Liberdade, no Centro da capital paulista, em uma ação conjunta com a Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista (Deatur) de São Paulo. O comparsa dele no crime está sendo procurado.

De acordo com o titular da Deat, delegado Alexandre Braga, Rogério era investigado desde o dia 20 de março. Na ocasião, Rogério conheceu um espanhol em um bar em Ipanema, na Zona Sul do Rio. Em um novo encontro horas depois em uma pizzaria no bairro do Humaitá, ele colocou um dopante na comida do turista. Com a ajuda de outro homem, ele conseguiu levar a vítima para um hotel no Catete para um suposto encontro sexual. Lá, ele roubou cartões bancários e de crédito, além de pertences. A vítima ficou desacordada por mais de 20 horas.

Rogério Soares Schmidt foi preso na tarde de quinta%2C em São Paulo. Ele é acusado de aplicar o golpe 'Boa Noite Cinderela' num turista espanhol no bairro do CateteOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Durante as investigações, os policiais conseguiram imagens de câmeras de segurança do hotel onde Rogério e o comparsa aparecem na recepção na companhia da vítima. No vídeo é possível ver a dupla observando o espanhol digitar a senha de um de seus cartões. Eles também são flagrados em vídeos realizando compras com o cartão após o crime. A polícia verificou que os horários em que as compras foram feitas coincidem com o constante no extrato do uso do dos cartões do espanhol. Pelo crime foi expedido um mandado de prisão expedido pela justiça do Rio contra Rogério.

Ainda de acordo com Alexandre Braga, os alvos de Rogério eram principalmente homossexuais de meia idade, do sexo masculino, selecionados em bares e casas noturnas do Rio e São Paulo. Ao descuido da vítima, ele colocava altas doses de Lorax em bebidas e comida dos alvos. O medicamento que possui a substância psicoativa benzodiazepínico, provoca depressão no sistema nervoso central e reduz a resistência. Após ir com a vítima dopadas às suas residências ou quartos de hotéis ele roubava pertences e cartões de crédito e saque.

"É uma prisão importante devido ao uso do medicamento Lorax usado pelo acusado para dopar as vítimas. Combinado com ingestão de álcool, a condição física pessoal dela e uma possível ingestão de medicamento para disfunção erétil, pode levar até a morte",

No imóvel em que Rogério foi preso na capital paulista foram apreendidos cartelas vazias de Lorax e os comprimidos em pequena quantidade embalados em sacos plásticos. A polícia acredita que o objetivo era já deixar pré-selecionada a quantidade que seria usada nos golpes, de cerca de cinco comprimidos de Lorax. Também foi encontrado dinheiro e pertences de supostas vítimas.

Rogério havia sido preso em 2010 acusado dos mesmos crimes. Ele cumpria pena em regime semi-aberto. Após a concessão do benefício de visita periódica ao lar, em 2013, ele não voltou para a prisão. A polícia acredita que desde então, ele havia voltado a praticar esse tipo de crime. Pelo roubo ao espanhol ele foi autuado por roubo com concurso de pessoas.

O delegado pede que vítimas de Rogério ou que tenham informações sobre o comparsa que aparece nas imagens agindo com Rogério, que procurem a delegacia, na Gávea, Zona Sul do Rio, ou liguem para o Disque-Denúncia. O telefone é o (21) 2253-1177.

"É um tipo de crime sub notificado, ou seja, não informado. As vítimas podem ser homens casados, que tem uma vida sexual dupla, ou homossexuais assumidos mas que sentem vergonha de ter sido vítima desse tipo de golpe. Mas é importante que comuniquem a polícia para indiciarmos o preso por outros crimes que ele tenha praticado", concluiu Alexandre Braga.

Você pode gostar