Por tabata.uchoa

Rio - A família de Eduardo de Jesus Ferreira fez ontem no município de Corrente, no extremo sul do Piauí, um protesto contra o assassinato do menino de apenas 10 anos durante uma operação no Complexo do Alemão no último dia 2. Os pais e irmãos de Eduardo estão na terra natal da mãe do menino, Terezinha Maria de Jesus, desde a semana passada. Ela fez questão de enterrar o corpo da criança na cidade onde nasceu.

Pais e irmãos de Eduardo participaram da manifestação vestindo camisetas com a foto do meninoViviane Setragni / Portal Corrente

No início da manhã, cerca de 200 pessoas saíram da igreja matriz da cidade, no centro, vestindo camisetas com a foto de Eduardo. O grupo fez uma caminhada de quase dois quilômetros pelas principais ruas da cidade até o cemitério onde os manifestantes se debruçaram sobre o túmulo da criança. “A coisa que eu mais quero neste mundo é justiça. Vamos lutar até o fim”, desabafou Terezinha. No trajeto, o pai de Eduardo, José Maria Ferreira, carregou uma cruz com o nome do filho.

A mãe de Eduardo fez a caminhada abraçada a Silviana Matimoto, mãe de outro adolescente da cidade assassinado em Goiânia no ano passado. “Eu vesti a camisa dela, e ela vestiu a minha para pedir paz e justiça”, explicou Terezinha. Bruno Eiji, de 14 anos, comprava créditos para o celular quando foi assassinado com três tiros no peito durante uma viagem de férias. Segundo a mãe, o dono do estabelecimento confundiu o menino com um assaltante.

“Bruno era um menino brilhante. Ele estava participando até de um programa de seleção de intercâmbio internacional e foi tido como um bandidinho do Nordeste”, afirmou Viviane Setragni, ex-professora de inglês de Bruno. O caso ainda não foi julgado. Após o protesto, o grupo participou de uma missa pelos sete dias do enterro de Eduardo. A família retorna ao Rio na quarta-feira para a realização da reconstituição do crime esta semana. A intenção deles é retornar ao Piauí o mais rápido possível. “Acabou a minha alegria e a vontade de viver no Rio”, disse Terezinha.

Você pode gostar