Por nicolas.satriano
José Maria F. de Souza (pai) e Terezinha Maria de Jesus (mãe)%2C pais do Eduardo de Jesus de 10 anos%2C morto durante tiroteio no Alemão Fabio Gonçalves / Agência O Dia

Rio - Dois policiais envolvidos na ação que resultou na morte de Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, tiveram as licenças médicas renovadas nesta segunda-feira, por mais oito dias, para tratamento psicológico. As informações foram confirmada pela Polícia Militar. Nenhum dos cinco policiais que prestariam depoimento hoje foram à Divisão de Homicídios. Um dos agentes que conseguiu a dispensa médica é um dos PMs que afirmou ter feito disparos, segundo ele, contra bandidos, e que pode ter acertado Eduardo. A criança foi assassinada com tiro na cabeça no dia 2 deste mês na porta de casa, dentro do complexo de favelas.  

Também nesta segunda, agentes da DH ouviram também dois agentes sobre o caso da morte de Elizabeth Alves, de 41 anos, no dia 1º de abril, baleada na boca dentro de casa, durante confronto entre bandidos e PMs, segundo informou a corporação na época. 

Na última quinta-feira, o comandante-geral da tropa, coronel Pinheiro Neto, informou que, além das instruções de reciclagem, os PMs em áreas de UPP  também recebem acompanhamento psicológico para enfrentar o estresse causado pelo trabalho em área conflagrada. No total, 320 PMs de três comunidades do Alemão serão reciclados, prometeu o oficial.




Você pode gostar