Por felipe.martins

Rio - Quatro jovens acusados de participar de um pega que culminou na morte de uma mulher, no Recreio dos Bandeirantes, dia 3, foram indiciados pela delegada da 42ª DP (Recreio), Adriana Belém, por homicídio doloso (quando se assume o risco de morte). De acordo com várias testemunhas e imagens de um vídeo obtido pela polícia, Leonardo Oliveira de Castro, que dirigia uma picape em companhia do amigo Daniel Heinzelman, trafegava em alta velocidade pela Av. das Américas, ao lado de um carro vermelho, no qual estavam Oswaldo Henrique Silva e Mário Jorge Correia. Os carros teriam atravessado o sinal vermelho e a picape, atingido outro carro, que transportava Liane Pereira, de 55 anos. Ela morreu na hora.

Leonardo Oliveira de Castro (que está com um círculo em volta da cabeça) dirigia a picape) e Daniel Heinzelman são dois dos acusados de participar do rachaReprodução TV

“Os quatro assumiram o risco de matar. Eles alegam não ter visto o carro da vítima fatal, mas a conduta deles e as provas que temos, além de depoimentos de pessoas que presenciaram tudo, nos levaram a indiciá-los com convicção pelo crime de homicídio doloso, cuja pena pode chegar a 30 anos de prisão”, disse Adriana.

Em depoimento mesta terça-feira, os jovens — exceto Mário Jorge, que trabalha fora do Rio —, confessaram ter consumido bebida alcoólica antes do acidente, mas negaram que estivessem fazendo pega.

Oswaldo Henrique Silva é mais um suspeito de participar de pega Reprodução

O viúvo, Luiz José Souza, disse não se conformar com a tragédia. “Nossa família foi desfeita por causa da irresponsabilidade de quatro bêbados”, desabafou.

Imagens da internet mostram que o carro de Liane foi arrastado por 30 metros e uma testemunha gritou para os ocupantes da picape, que teriam tentado fugir: “Aí, maluco, não adianta meter o pé, não. Mataram os outros ali”, disse a testemunha. Um PM que atendeu a ocorrência disse que os acusados estavam aparentemente embriagados, se recusaram a fazer o teste de alcoolemia, e ainda debocharam das testemunhas, dizendo que o ocorrido “não ia dar em nada, porque tinham dinheiro”.

Mário Jorge Correia é mais um dos acusados de participar de pegaReprodução TV


Você pode gostar