Por paulo.gomes
Ayrton Senna da Silva Ferreira%2C de 20 anos%2C foi preso na terça-feira%2C em Honório Gurgel%2C com um carro roubadoDivulgação

Rio - Ele tem o mesmo nome de um dos maiores ícones do esporte brasileiro. Assim como o ídolo, gosta de carros e de velocidade. Mas as semelhanças param por aí. A ligação do carioca Ayrton Senna da Silva Ferreira, de 20 anos, com os veículos passava longe das gloriosas vitórias e dos títulos que o seu xará conquistou na Fórmula 1 — o tricampeão, que morreu em 1994 no GP de Ímola (Itália), só não tinha o sobrenome Ferreira. O rapaz foi preso na terça-feira por policiais civis, em Honório Gurgel, acusado de cometer uma série de roubos de veículos e a estabelecimentos comerciais em bairros da Zona Norte.

Conhecido como Retalho, por conta das cicatrizes no joelho, o criminoso foi preso dentro de um Palio roubado quando deixava a Favela da Palmeirinha. A região faz parte da área da 40ªDP (Honório Gurgel), mas a prisão foi efetuada por agentes da 29ªDP (Madureira), que já investigavam o acusado e montaram o cerco para capturá-lo.

O preso foi autuado em flagrante por receptação de veículo roubado. Contra ele, também foi cumprido mandado de prisão preventiva por um homicídio cometido em 2013. Segundo os policiais, Ayrton Senna faz parte da “Quadrilha 157”, número referente ao artigo do Código Penal que trata do crime de roubo.

De acordo com agentes da 29ªDP, além de roubar carros e cometer assaltos em estabelecimentos comerciais, Ayrton Senna é acusado de praticar sequestros relâmpagos. “Há informações de que ele tenha participado de mortes de policiais”, afirmou um inspetor que participou da prisão.

O Palio vermelho que estava com o criminoso foi roubado na região de Honório Gurgel. A polícia só conseguiu identificar o carro graças ao número do chassis, já que o veículo estava com uma placa clonada. O preso deverá ser transferido nesta quarta-feira para uma unidade do sistema penitenciário.

Você pode gostar