Por adriano.araujo

Rio - O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, vai a júri popular no dia 13 de maio, por conta das mortes de criminosos de facções rivais no presídio de segurança máxima de Bangu 1, na Zona Oeste, em 2002. O julgamento acontecerá às 13h no 1º Tribunal do Júri do Rio, no Centro da cidade.

Beira-Mar é acusado de ter liderado uma guerra de facções dentro do presídio, quando foram mortos o traficante Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, e outros três presos de uma facção rival. Além dele, serão julgados Cláudio José de Souza Fontarigo, o Claudinho da Mineira; Carlos Braz Victor da Silva, o Fiote; Márcio Santos Nepomuceno, o Marcinho VP; Marcos Antonio Pereira Firmino da Silva, o My Thor e Márcio Silva de Macedo, o Gigante. Entretanto, os processos foram desmembrados e eles serão julgados em outras datas.

Beira-Mar deixa presídio de Bangu 1 após rebelião%3A quatro traficantes rivais foram mortos por seu grupoOsvaldo Praddo / Arquivo / Agência O Dia

Na época, a rebelião levou pânico a diversos bairros da cidade, obrigando comércios a fecharem as suas portas. Segundo a denúncia, os acusados agiram com o objetivo de exterminar os líderes da organização criminosa rival que estavam cumprindo pena na unidade.

As mortes aconteceram dentro da Galeria D do presídio, considerado de segurança máxima, onde estavam 10 detentos. Preso na Galeria A do mesmo presídio, Beira-Mar utilizou as chaves para atravessar seis portões com grades até chegar aos rivais. Os outros três mortos foram Carlos Alberto da Costa, o Robertinho do Adeus; Wanderlei Soares, o Orelha e Elpídio Rodrigues Sabino, o Pidi.

Você pode gostar