Por felipe.martins

Rio - A paixão pelos cavalos e o conhecimento do ramo de imóveis e da vida rural uniram o empresário carioca Francisco Pedroso, de 58 anos, e o petropolitano João Márcio Marquesin, de 35 anos. Eles são os responsáveis por movimentar um novo nicho do mercado imobiliário, com o conceito de condomínio rural, levando para a Região Serrana toda a infraestrutura de pequenos sítios, com cocheiras para cavalos, lagos e trilhas em áreas comuns. O negócio mostra um lado do Rio onde a crise parece passar ao largo e é tema da série de reportagens que ‘O Dia no Estado’ inicia hoje.

“Não é só um conceito. É um estilo de vida”, diz Pedroso, que abandonou o posto de diretor de uma das maiores construtoras do Rio e começou a investir em alguns empreendimentos, principalmente para aqueles que queriam fazer turismo rural na Serra. Pedroso foi a um leilão de cavalos e saiu de lá com dois exemplares da raça Mangalarga Pampa. Sem ter onde criá-los, comprou uma antiga fazenda e transformá-la no maior haras da região, o Haras das Ruínas, numa área de 460 mil metros quadrados, onde atualmente cria 120 cavalos, avaliados entre R$ 50 mil e R$ 200 mil cada. Parte da área foi loteada, dando origem a três condomínios rurais.

No Haras das Ruínas%2C o maior da Serra%2C o negócio vai além da criação de cavalos%3A três condomínios rurais recebem os amantes dos animaisDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Formado em Gestão Ambiental, João morou na Europa e desde 2007 está de volta ao Brasil. Apaixonado por cavalos desde criança, ele é o braço direito de Pedrosa no novo negócio, que emprega oito funcionários e fatura anualmente R$ 900 mil. Muito desse faturamento se deve à participação dos cavalos em leilões como a 1ª Expo Rio Pampa, que acontece de hoje a domingo, no Parque de Exposições de Itaipava. Pedroso levará 18 cavalos. O destaque é o Apache de Nanuque, avaliado em R$ 200 mil e considerado um dos melhores reprodutores de marcha picada do país, com cinco ‘herdeiros’ premiados. Quem quiser um filho de Nanuque vai desembolsar ao menos R$ 3 mil para tentar uma inseminação.

R$ 1,5 milhão só em leilão

A Expo Rio Pampa deve receber 10 mil pessoas nos quatro dias e vai reunir mais de 150 animais premiados e um leilão de 41 lotes de cavalos da raça, entre eles, alguns dos melhores reprodutores de marcha picada do Brasil. Os organizadores esperam movimentar R$ 1,5 milhão só com o leilão, fora o que os turistas e visitantes vão gastar na cidade.

“É muito importante esse fluxo de criadores que chegam aqui, lotando nossos hotéis, comendo em nossos restaurantes e intensificando cada vez mais nosso turismo rural”, afirma Leandro Faver, secretário de Agricultura de Petrópolis. O Parque de Exposições de Itaipava vai receber três eventos desse porte nas próximas semanas, iniciando a temporada de exposições de cavalos de raça na Serra. “Nessa época, quase não se encontra frete para transportar os animais e as clínicas veterinárias ficam abarrotadas. Todo mundo encontra um modo de ganhar algum dinheiro”.

Você pode gostar