Por paulo.gomes

Rio - A prisão de oito homens na tarde de quarta-feira tirou de ação uma quadrilha especializada em assalto a bancos que atuava no Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo. Em coletiva nesta quinta-feira, o delegado Márcio Braga, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), revelou que o bando é uma ramificação do grupo de Leonardo Braga da Silva, o Léo Capoeira, preso em janeiro.

Os integrantes da quadrilha especializada em assaltar bancos foram apresentados na manhã desta quinta-feira%2C na Cidade da PolíciaCarlos Moraes / Agência O Dia

As investigações duraram quatro meses e o bando estava sendo comandado por Marcos Pereira dos Santos, o "Marquinhos". Além dele, os policiais prenderam Cássio Martins da Silva, o "Carequinha", Sergio Lucas da Silva Oliveira, o "Serginho", Valber de Carvalho Nideck, o "Dente” ou “Moreno”, Daniel Davi Jeronimo da Silva, o "Bigode", Jean Carlos do Nascimento Junior, Rafael Griffth, o "docinho" e Danilo Ramos Feitosa, o “Grande". Eles assaltavam uma agência bancária no bairro do Rocha, em São Gonçalo.

O delegado explicou como a quadrilha agia antes de praticar os assaltos. "Eles ficavam estudando o local por cerca de dois meses para fazer o assalto. Viam como seriam as rotas de fuga. A participação de parte desses criminosos em pelo menos três assaltos já foi identificada", diz.

Com o grupo%2C a polícia apreendeu armas%2C munições%2C telefones celulares e dinheiroCarlos Moraes / Agência O Dia

Com os presos os policiais apreenderam cinco pistolas, três revólveres, quatro carros, uma moto, sete celulares e R$ 34 mil. Quando percebeu a ação dos policiais, Marquinhos chegou a fazer o tesoureiro do banco de refém. Os criminosos foram autuados por roubo, resistência e formação de quadrilha. De acordo com a DRF, as investigações estão em andamento para confirmar a participação da quadrilha em outros roubos.

Antigo chefe da quadrilha foi preso perto das estações das barcas

Léo Capoeira foi preso na manhã do dia 27 de janeiro deste ano. Os agentes localizaram o criminoso próximo à estação das barcas, em Niterói. Na casa dele, em Itaboraí, foram encontrados R$ 8.378, três celulares, duas identidades falsas e um revólver calibre 38.

O criminoso foi preso após monitoramento realizado durante seis meses, quando participou do assalto a uma agência bancária na Tijuca, em agosto do ano passado. Um vídeo mostra o momento em que Léo e dois comparsas entram separados no banco.

Você pode gostar