Ex-dançarina da 'Jaula das Gostozudas' é morta na Baixada Fluminense

O principal suspeito do crime é o marido da vítima, que foi preso ao capotar com o carro na Dutra

Por O Dia

Amanda%3A marido é o suspeitoDivulgação

Rio - Ex-integrante da Jaula das Gostozudas, a dançarina Amanda Bueno, que também já dançou na Gaiola das Popozudas ao lado da cantora Valesca, foi assassinada em casa, no bairro da Posse, em Nova Iguaçu, na noite de quinta-feira. O principal suspeito do crime é o marido da vítima, Milton Severiano Vieira, 32 anos. Ele foi preso ao capotar com um Gol Cinza na Dutra. Foram apreendidas duas pistolas e uma espingarda 12. Ele foi levado ao Hospital da Posse sob custódia.

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) apura o caso.

Testemunhas contaram aos policiais civis que o companheiro de Amanda atirou na cabeça dela várias vezes, com uma espingarda calibre 12 e uma pistola. Eles teriam discutido e o suspeito teria batido a cabeça da mulher no chão antes de atirar. Ele fugiu logo após o crime. Agentes da DHBF tentam localizar o suspeito para esclarecer o caso. Testemunhas disseram que as brigas entre o casal eram constantes.

Ex-integrante do grupo de funk Jaula das Gostozudas, a cantora Rafaela Felizardo lamentou a perda de Amanda. A funkeira, que trabalhou durante dez meses com a dançarina, afirmou que a amiga queria “conquistar o Rio” e “proporcionar uma vida melhor para a mãe a filha, que moram em Goiânia”.

LEIA MAIS:

Delegado chama marido de 'assassino bestial'

Valesca Popozuda lamenta morte de ex-integrante da Gaiola das Popozudas

Durante a Copa do Mundo, Amanda causou burburinho ao invadir o campo da Granja Comary, onde a Seleção Brasileira treinava, para entregar um CD ao atacante Hulk. Na ocasião, ela conseguiu tirar uma selfie com o jogador.

Últimas de Rio De Janeiro