Esgoto em São Conrado irrita cantor Gabriel O Pensador

Moradores, comerciantes e surfistas reclamam de lançamento de dejetos no mar

Por O Dia

Rio - Um apelo de Gabriel O Pensador vem mobilizando a internet para um problema recorrente da Praia de São Conrado: o vazamento de esgoto no mar. Morador do bairro, o cantor e compositor publicou em sua rede social a foto de uma mancha marrom e uma crítica ao descaso das autoridades. O post já soma mais de 32 mil curtidas. Mas não é só ele que faz campanha para cobrar melhorias. Surfistas, banhistas e comerciantes da região mostraram ao DIA problemas causados pelos constantes vazamentos.

“Que revolta eu sinto com a poluição do Cantão. É um absurdo. Deixam isso acontecer há anos porque quem frequenta essa praia são os moradores da favela. Se fosse Barra ou Ipanema não estaria assim há tantos anos sem solução e piorando!”, publicou Gabriel, sexta-feira, referindo-se ao canto esquerdo da praia.

Denúncia de mancha marrom no mar%2C flagrada pelo cantor e compositor%2C já gerou mais de 32 mil ‘curtidas’Reprodução Internet

Já na Avenida Niemeyer é possível sentir o cheiro de esgoto. Em vários pontos da via, margeada por uma tubulação da Cedae, encontra-se vazamento de dejetos no costão até o mar. Segundo os surfistas, dependendo da maré, a quantidade de lixo e a mancha negra da água aumentam ou diminuem. “Antigamente, essas manchas apareciam mais quando chovia. Agora, é sempre, mesmo quando tem seca”, diz o morador da Rocinha, o técnico de manutenção Reinaldo Silva, 50.

Os surfistas dizem encontrar de tudo a areia. Seringa, sofá, rato, cachorro morto, capacete e centenas de garrafas PET são alguns exemplos listados por Eric Posseidon, 33, que teme também pela saúde das crianças integrantes da escolinha da surfe da Rocinha. São mais de 70 alunos expostos não só à poluição, mas vergalhões de ferro de uma rampa que desabou no final da praia. “As crianças pegam doenças e se machucam nas pedras que apareceram com a explosão para abrir o buraco do costão”, diz o professor de surfe, Wanderley Silva, 39.

“A sujeira prejudica muito as vendas. Quando sobe o fedor então, é triste”, reclama o barraqueiro Marco Brito, de 43 anos, 23 deles nas areias de São Conrado. A Cedae informou que houve um vazamento na última quinta-feira, reparado no mesmo dia. Quanto aos outros pontos de escape de esgoto registrados no mesmo local pela equipe do DIA, no fim de semana, a assessoria da Cedae diz desconhecer o problema. Segundo o último boletim do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a praia está imprópria para banho, o que não tem relação direta com o vazamento de quinta.

Últimas de Rio De Janeiro