Mulher que agrediu adolescente conta na delegacia que está grávida

Jasciane Nascimento passou mal na 35ª DP e os agentes chegaram a ter que pedir uma ambulância para atendê-la

Por O Dia

Rio - A suspeita de espancar uma adolescente de 16 anos por ciúmes se apresentou na delegacia para prestar depoimento e contou ao delegado que está grávida. Na 35ª DP (Campo Grande), Jasciane Nascimento, 22, conhecida como Nem, chegou a passar mal e uma ambulância do Samu teve de ser chamada para atender a jovem. A vítima,  Larissa Almeida Deveza Cruz, teria morrido devido ao espancamento. 

Entenda o caso

Uma briga por ciúme terminou com a morte de uma jovem de 16 anos na madrugada deste sábado em Campo Grande, na Zona Oeste. Larissa Almeida Deveza Cruz foi espancada por Jasciane Nascimento, 22, conhecida como Nem. A vítima saiu com o ex-namorado da acusada, que se sentiu traída. O corpo de Larissa será sepultado neste domingo, às 11h, no Cemitério do Murundu, em Realengo, na Zona Norte.

Jasciane Nascimento%2C de 22 anos%2C conhecida como NemReprodução

Os familiares de Larissa contam que Jasciane abordou a jovem na esquina das ruas Soldado Valdemar de Almeida com Margem Direita. Jasciane começou a agredir Larissa, que bateu a cabeça no chão e ficou desacorda. Mesmo assim, a vítima continuou sendo espancada por Nem. As amigas de Larissa tentaram apartar a briga, mas também foram agredidas. Os moradores da região separaram o tumulto e Jasciane fugiu do local.

Larissa foi levada com vida para o Hospital Estadual Rocha Faria, onde os médicos tentaram reanimá-la, mas ela não resistiu. Na certidão de óbito da jovem, consta que a causa da morte foi edema agudo de pulmão e cardiopatia mista. O caso foi registrado na 35ª DP (Campo Grande) como homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Até agora, Nem não foi encontrada.

Enquanto a polícia não encontra Nem, a família da jovem Larissa tenta se recuperar do trauma. A mãe Alexsandra Deveza, 45 anos, está sob efeito de medicamentos. “Ela está desnorteada. Não está acreditando no que aconteceu”, disse o radiologista Marcelo Ferreira, marido da prima de Larissa.

Larissa vivia com a mãe e o irmão mais novo. Marcelo conta que Larissa gostava de se divertir como qualquer adolescente. "Ela tinha saído com as amigas para lanchar. E quando voltaram encontraram a Nem que já chegou batendo nela e em outra menina", disse.

Marcelo denuncia que Nem fez ameaças dias antes de agredir Larissa. "Ela chegou a ir na mãe da Larissa para dizer que iria bater na menina. Ela brigou e matou alguém por causa de um rapaz não tinha mais nada com essa mulher", disse. "É a infância perdida dessa geração, que pensa mais em namoro do que em estudar", lamenta.


Últimas de Rio De Janeiro