Assembleia em sindicato de policiais federais acaba em confusão no Rio

Segundo presidente em exercício do SSDPF-RJ, André Luis Sampaio, briga foi causada por Valéria Manhães, eleita presidente em 2012 e afastada do cargo desde agosto de 2013

Por O Dia

Rio - Uma assembleia do Sindicato dos Servidores de Departamento da Polícia Federal (SSDPF-RJ) acabou em confusão na tarde desta terça-feira. De acordo com André Luis Sampaio, presidente em exercício da associação localizada no Centro do Rio, a confusão foi gerada por Valéria Manhães, eleita presidente em 2012 e que está afastada do cargo desde agosto de 2013 suspeita de desvio de verba, segundo Sampaio. Já de acordo com Valéria, foi André Luís quem impediu a entrada dela no sindicato.

Ainda de acordo com André Luis — vice de Valéria que assumiu o cargo após seu afastamento — o encontro de hoje será transferido por causa da confusão. "Ela [Valéria] não está em exercício do cargo desde 2013 e agora quando tem assembleia quer tentar recuperar o cargo na marra", disse ele. A reunião marcada para hoje discutiria o aumento de 15% do repasse sindical à Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef). 

No próximo dia 6 de maio, será realizada um novo encontro para decidir se Valéria deverá ser afastada definitivamente do sindicato, informou André Luis. 

Outro lado

Segundo Valéria Manhães, é ela a presidente de fato e direito do sindicato. "As punições impostas injusta e arbitrariamente contra mim perderam o valor desde o dia 14", disse ela.  Ela afirma que foi impedida de entrar no prédio da instituição por André Luís. "Ele que se interpôs no corredor bloqueando a minha passagem", declarou.

"Eu nunca desviei verba alguma de sindicato. Fui realmente afastada juntamente com o tesoureiro por um golpe do vice. Eu já propus ação na Justiça para anular essa punição e assembleias ilegais. Ele está lá desde o dia 14, já acabaram a validade das punições que foram impostas injustamente a mim. Ele tentou numa assembleia realizada no dia 14 me excluir. Ele se mantém no poder ilegalmente. Está sentado na cadeira de presidente arbitrariamente. Desde o dia 14 ele não é mais presidente."


Últimas de Rio De Janeiro