Envolvidos em assaltos no metrô pertencem ao mesmo bando

Delegada da 10ª DP (Botafogo) ressaltou que união de todos os setores ajudou na identificação e prisão dos ladrões

Por O Dia

Rio - Após a prisão de Max Walla Medeiros da Hora, nesta quarta-feira, a delegada da 10ª DP( Botafogo) Bárbara Lomba, informou que os envolvidos tanto no primeiro quanto no segundo assalto dentro do metrô pertencem ao mesmo bando e são do Complexo do Arará, em Benfica. Max, o primeiro a ser identificado pela polícia, era o líder dos cinco criminosos que realizaram o segundo roubo dentro de um vagão, no dia 25 de março, 13 dias após anterior.

A prisão de Max foi realizada na Mangueira por agentes da 10ª DP após o recebimento de uma denúncia e teve o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e policiais da UPP da comunidade. Ele estava armado e tentou resistir. Wallace Duarte, um dos já presos pelo arrastão do dia 25, também havia sido preso na Mangueira. Apenas o menor apreendido estava na Favela do Arará. 

Max Walla Medeiros (E) foi preso nesta quarta-feira. Bruno Gonçalves (D) é o quarto ladrão procurado pela polícia. Um quinto elemento ainda não foi identificadoDivulgação

Todos os esforços se concentram agora na prisão de Bruno Gonçalves, que está com mandado de prisão preventiva expedido e sendo procurado. Um quinto bandido que também participou do assalto ainda não foi identificado.

De acordo com a delegada, diferente do primeiro arrastão, o roubo realizado no dia 25 de março foi fácil de identificar os criminosos e prender a maioria deles por conta da colaboração das vítimas e de todos os setores envolvidos. 

"As informações que recebemos de todos os setores, como metrô (que forneceu as imagens), o Disque-Denúncia, que funcionou prontamente, a sociedade civil e a imprensa, com a divulgação da imagens dos criminosos, ajudou e fez com que a investigação funcionasse muito bem", disse.

Últimas de Rio De Janeiro