Cartão-postal da Cidade Olímpica vira um mar de lixo

Sujeira trazida pela chuva expõe má qualidade das águas da Baía de Guanabara

Por O Dia

Rio - A chuva intensa que caiu na Região Metropolitana na última quinta-feira expôs ainda mais a situação das praias da Baía de Guanabara. Na manhã de sexta, os cariocas e turistas que passeavam pela Enseada de Botafogo foram obrigados a encarar a cor escura da água, além de uma língua de esgoto. Segundo o biólogo Mário Moscatelli, que sobrevoou a região, a situação é reflexo de poluição da Baía. As águas da Praia do Flamengo e de Icaraí, em Niterói, também demonstravam os mesmos problemas.

“A Baía é uma latrina só. Não é só a praia de Botafogo, Flamengo, Icaraí. A chuva leva todo o esgoto e o lixo para as galerias e para a rede pluvial, que vai para os rios e depois tudo vai para a Baía de Guanabara. Aquilo que você esta vendo da praia é uma situação generalizada”, afirmou Moscatelli.

As areias da Praia de Botafogo amanheceram repletas de sujeira na sexta-feiraBruno de Lima / Agência O Dia

A situação é causada pela falta de cobertura de rede de esgoto na região e pela ocupação desordenada. A principal preocupação com a Baía de Guanabara tem relação com as provas que serão disputadas no local nos Jogos Olímpicos do Rio, ano que vem. Especialistas dizem que há um impasse, devido à má qualidade da água para as competições.

Eventos-teste

A partir de julho, o Rio começa a receber os eventos-teste. Serão 44 competições esportivas – sendo 34 Olímpicas, seis Paralímpicas e quatro mistas — elas reunirão mais de 7.800 atletas na cidade. Na Baía de Guanabara, há preocupação com o evento de vela, o Aquece Rio Regata, que será realizado na Marina da Glória.

O modo como o governo vai melhorar a qualidade da águas para os Jogos de 2016 é uma incógnita. O Projeto Grael/Instituto Rumo Náutico desistiu de assumir a gestão do lixo flutuante. A recusa do instituto ocorreu porque o contrato seria celebrado sem licitação. O governo estadual entrou com um pedido no Tribunal de Contas do Estado (TCE) para fazer uma licitação que defina a empresa gestora das ecobarreiras para conter o lixo flutuante na Baía. A previsão é de que o edital só saia no dia 22 de maio.

Na semana passada, o vice-presidente da Federação Internacional de Vela (Isaf), Scott Perry, declarou que, se a qualidade das águas não melhorar, as provas de vela devem ser transferidas para outro local. Já o Comitê Rio-2016 nega a mudança. A meta inicial era despoluir 80% da Baía, mas o governo já admite que não atingirá a meta.

Banho de mar

O boletim de balneabilidade divulgado, na sexta-feira, pelo Inea, informa que 12 praias estão próprias para o banho neste feriadão. As praias liberadas são Barra de Guaratiba, Grumari, Prainha, Recreio, Joatinga, Vidigal, Ipanema, Arpoador, Diabo, Copacabana, Leme e Vermelha. Estão impróprias as praias do Pepino, São Conrado, Urca, Botafogo e Flamengo.

A Praia do Leblon está com dois pontos próprios para o banho: em frente às ruas Rita Ludolf e Bartolomeu Mitre. Os banhistas devem evitar o trecho que fica em frente à Rua Afrânio de Melo Franco.

Na Barra da Tijuca, os pontos em frente à Avenida Ayrton Senna e ao Riviera Country Club estão próprios. Os banhistas devem evitar os pontos em frente ao 2º GBM (Bombeiros) e do Quebra-mar. Além disso, o banho de mar deve ser evitado nas primeiras horas após a ocorrência de chuvas, especialmente em locais perto de saídas de galeria de águas pluviais ou canais de drenagem.

Últimas de Rio De Janeiro