Por paulo.gomes

Rio - No Dia do Trabalhador, celebrado na sexta-feira no Brasil e no mundo, muita gente aproveitou o feriado para procurar emprego. Ainda cedo, uma multidão se reuniu no Parque Madureira, atraída por três mil vagas de trabalho, estágios para o programa Jovem Aprendiz e cursos na área da construção civil. O dia também foi marcado por atos políticos, por atividades esportivas e muita festa. O tradicional Samba do Trabalhador comemorou dez anos com show de graça no Arpoador, lotando o Parque Garota de Ipanema no pôr do sol.

O Samba do Trabalhador comemorou com show de graça que lotou o Parque Garota de Ipanema%2C no Arpoador%2C no fim da tarde de sexta-feiraJoão Laet / Agência O Dia

“Dez anos depois de a gente começar o Samba do Trabalhador lá no Renascença, no Andaraí, poder trazer a roda, no Dia do Trabalhador, para o Arpoador, com gente de todas as classes, de toda a cidade, foi para lá de inesquecível. O que eu vivi aqui hoje não tem preço”, disse Moacyr Luz, idealizador do Samba do Trabalhador.

Durante a ação em Madureira, promovida pelas secretarias municipais de Trabalho e Emprego e Saúde, as famílias aproveitaram para tirar, gratuitamente, carteira de trabalho, de identidade, certidões de nascimento e casamento, além de participar de campanhas contra o fumo e prevenção da Aids.

Em Macaé, a festa foi na Praça Washington Luiz, onde cerca de 5 mil pessoas tiveram acesso a um banco de talentos. Puderam cadastrar currículo e agendar entrevista de emprego. A moradora Flávia Bahia, 21 anos, se inscreveu no curso de auxiliar administrativo. “Nunca trabalhei. Espero enriquecer meu currículo e conquistar o primeiro emprego”, diz.

Nos Arcos da Lapa, 22 centrais sindicais, movimentos sociais e estudantes se manifestaram contra liberação da terceirização no país e as medidas provisórias que afetam a aposentadoria e o seguro desemprego.

Famílias curtiram o feriado nos gramados da Quinta da Boa VistaPaulo Araújo / Agência O Dia

Para quem só queria descansar da dureza do dia a dia, o lugar preferido foi a Quinta da Boa Vista. Moradores da Maré, o porteiro Severino dos Santos e a esposa, a diarista Cícera de Oliveira, de 45 anos, fizeram piquenique. Conheceram o Museu Nacional e o zoológico. “Trabalho seis dias na semana. Acordo de madrugada e pego ônibus lotado. Hoje, é para relaxar, curtir a família”, contou Severino. A Quinta foi o destino do empresário Ozias Rangel, de 45 anos. Ele e a filha Ana Luiza, de 5 anos, andaram de pedalinho e se divertiram no zoo. “É difícil ter tempo para ficar com ela. Aqui, posso descansar e ao mesmo tempo agradá-la.”

No interior, prêmio para corredores

Na Região Serrana, a prefeitura de Petrópolis abriu as comemorações levando mais de 2 mil pessoas às ruas da cidade na tradicional corrida do Trabalhador, que este ano aderiu à campanha Maio Amarelo por um trânsito mais seguro.

Em Cantagalo, no interior do estado, 700 ciclistas participaram do percurso. O pedreiro Jorge Ferreira Rocha, de 64 anos, pedalou 60 quilômetros do município onde mora, Carmo, até Cantagalo para participar da festa. O aposentado Ciro do Nascimento, de 81 anos, recebeu o troféu de ciclista mais experiente no passeio que há 35 anos presta homenagem aos trabalhadores.

Ciclismo em Nova Iguaçu e serviços sociais em Duque de Caxias

Uma legião de bicicletas invadiu as ruas de Nova Iguaçu, na manhã desta sexta-feira. O terceiro Pedala concentrou cerca de 300 ciclistas na Vila Olímpica da cidade, para celebrar o Dia do Trabalhador. Os atletas passaram por oito bairros, em um passeio coletivo, até a chegada, no Centro Olímpico do município. Antes da largada, foram sorteadas três bicicletas.

Centenas de ciclistas celebraram o Dia do Trabalhador pedalando por oito bairros de Nova IguaçuAlziro Xavier / Divulgação

Para competir, os principais requisitos eram disposição e o amor pelo esporte. E isso, o aposentado Uilton Barbosa, o atleta mais velho da competição, de 74 anos, teve de sobra. Morador do Centro de Nova Iguaçu, é figurinha carimbada em todos os eventos esportivos do município. Segundo ele, o melhor remédio contra a indisposição é se exercitar. Ele ainda afirma que participar de eventos como este é a melhor forma de interagir e conhecer novas pessoas. “Eu amo conversar, mas amo pedalar também. E é por isso que eu não perco uma corrida, seja aqui na cidade ou em outras. Eu estou dentro de todas”, disse.

Para não perder o fôlego durante a prova, a moradora Nídia Adelina Siston, de 60 anos, que sofre de diabetes tipo 2, revelou que se prepara ao longo do ano fazendo caminhadas. “Esses eventos são a minha insulina. Sem isso, eu morreria. Aqui encontro minha cura.”

Em Duque de Caxias, a parte da manhã foi marcada por uma grande ação social no campo do Tricolor, onde foram oferecidos serviços como emissão da carteira de trabalho digital, balcão de empregos, verificação da pressão arterial, saúde bucal e beleza e apresentação da banda da Polícia Militar. Morador do Centenário, Edmilson Macedo aproveitou a ação social para se vacinar. “Acho importante a prefeitura realizar eventos como este para a população”, comentou.

Já na Vila Olímpica, o dia foi para ninguém ficar parado. As famílias puderam experimentar atividades de arborismo, shiatsu, hip hop, badminton, entre outras. “Eventos como esse que reúnem muitos jovens deveriam acontecer mais vezes”, disse a escrivã Valéria Lima.

Reportagem de Caio Barbosa, Felipe Carvalho, Marcelle Bappersi e Maria Luisa Barros

Você pode gostar