Mictórios públicos ficam guardados

Mais da metade dos equipamentos que deveriam servir à população está em depósitos

Por O Dia

Rio - Dos 74 mictórios públicos espalhados pelo município do Rio, 51 estão guardados em depósitos da Secretaria de Conservação. Só embaixo do viaduto 31 de Março, na Cidade Nova, há 25 unidades do equipamento. Os mictórios foram instalados pela Prefeitura em 2013, seguindo padrão europeu. Cada unidade custou em média R$ 19 mil.

Viaduto 31 de Março%3A 25 mictórios esperam pela instalaçãoAlexandre Vieira / Agência O Dia

Oficialmente batizados como Unidades de Fornecimento de Alívio Imediato e apelidados de UFAS, os 23 mictórios já instalados funcionam na Zona Norte. Por meio de nota, a Secretaria de Conservação informou que as unidades são novas e que serão instaladas em breve, após definição da logística de manutenção.

De acordo com a secretaria, equipes da Comlurb realizam serviço de limpeza diariamente nas 23 UFAs que já funcionam. Para isso, um veículo dotado de máquina aspersora de água faz a higienização. As autoridades informam que a manutenção também depende de parceria com a população. É preciso que os usuários contribuam não jogando copos, garrafas ou outros objetos nos mictórios, evitando assim entupimentos, vazamentos e outros transtornos.

A Secretaria de Conservação explica que o excesso de resíduos imprópios lançados nos mictórios obrigou a prefeitura a rever o protocolo de manutenção dos equipamentos e que, em breve, irá informar as mudanças.

Reportagem de Vinícius Amparo

Últimas de Rio De Janeiro