Por nicolas.satriano

O torcedor do Flamengo Luiz Fernandes de Souza Patrocínio, de 38 anos, espancado por cerca de 40 vascaínos no último domingo, em Mesquita, será ouvido hoje pelo delegado Matheus Romanelli Lopes, titular da 53ª DP (Mesquita), que também intimou os chefes das torcidas organizadas do Vasco na Baixada Fluminense para prestar depoimento.

O delegado quer saber as circunstâncias da confusão em Mesquita. Em declaração publicada ontem pelo DIA, Fernandes revelou ter sido integrante da torcida Raça Rubro Negra há cerca de 10 anos, mas nas redes sociais circulam informações de que ele seria um dos líderes da Torcida Jovem do Flamengo na Baixada Fluminense, e teria ido a Mesquita “dar um ataque” (preparar uma emboscada ) nos vascaínos que se prepararam para ir ao Maracanã assistir à decisão do Campeonato Carioca contra o Botafogo.

“Ele sempre pegou (agrediu) quem andava na rua com camisa de outro time. Em outro jogo, fez a mesma coisa que nesse. Esperou a gente passar, mas como tinha pouca gente, deu sorte. Ainda roubou uma bandeira. Desta vez, porém, ele não esperava encontrar tanto vascaíno e acabou não tendo a mesma sorte”, contou um torcedor do Vasco, que presenciou a agressão, e não quis se identificar.

Luiz Fernandes tem algumas passagens pela polícia, e chegou a ficar preso em 2007 no Complexo Penitenciário de Gericinó por falsificação de documentos. O torcedor também já foi detido por dano e promoção de tumulto, prática ou incitação à violência, em 2012, após uma briga no Engenhão.

A vítima negou que tenha ido a Mesquita “caçar” vascaínos. Morador de Nova Iguaçu, Luiz disse que estava no município vizinho a caminho de um churrasco.

“Eu e quatro amigos fomos comprar carne. Ao descer do carro, dei de frente com torcedores do Vasco e fui hostilizado. Um amigo conseguiu correr, mas acabei sendo pego e espancado a pauladas, socos e chute”, contou Luiz.

Você pode gostar