Escola de Comunicação da UFRJ para as atividades por falta de pagamento

Equipes de segurança e de limpeza estão sem receber e instituição encontra-se em 'situação insustentável'

Por O Dia

Rio - A Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ) parou as atividades nesta segunda-feira devido à falta de pagamento de funcionários terceirizados, como seguranças e auxiliares de serviços de limpeza. A decisão unânime foi tomada após uma reunião entre o diretor da ECO, Amaury Fernandes, alunos e corpo docente da instituição, e afetará os 1.500 estudantes da graduação. Ainda não há uma posição sobre as atividades de pós-graduação. 

LEIA MAIS:

Novo reitor da UFRJ: 'Situação é de crise, mas o que fazer com os alunos?'

Seguranças do Museu Nacional ameaçam entrar em greve

"Chegamos ao nosso limite. Há funcionários e técnicos administrativos ficando doentes. Vamos parar porque não há condições de trabalho para continuar com as atividades normalmente", declarou Amaury Fernandes, logo após convocar toda a comunidade acadêmica para uma assembleia. 

Diretor da ECO%2C Amaury Fernandes se reuniu com a comunidade acadêmica para discutir o problema na faculdade%3A decisão de parar as atividades foi unânimeMarina Mathieu / Agência O DIA

Diante dos problemas que afetam a segurança de quem frequenta o local, alunos, professores, funcionários administrativos e o diretor decidiram, de forma unânime, parar as atividades. Na próxima segunda-feira haverá uma nova assembleia para decidir os próximos passos. 

O diretor da ECO chegou a dizer que parte dos professores, além dele, fizeram um "pé de meia" para poder pagar um funcionário para que "mantivesse o mínimo de limpeza".

Alunos%2C professores e corpo técnico da ECO decidiram parar as atividades por questão de segurançaAmanda Prado / Agência O DIA

Mais cedo, o portão principal da instituição já estava fechado. Alguns estudantes chegaram a se queixar também da falta de segurança no local e pela região. 

Os funcionários terceirizados são contratados das empresas HIGI Time (limpeza) e Angels (segurança). A reportagem tentou contato com as duas mas ainda não obteve um posicionamento. 

ECO alertava sobre situação há meses

Nesta segunda-feira à tarde, uma nota publicada em rede social e assinada pelo diretor da ECO informava oficialmente ao campi o fechamento da escola. Como informa o texto, a situação era alertada a meses pela direção do curso. 

 

CarosA Congregação da Escola de Comunicação em reunião realizada agora pela manhã, que foi aberta ao coletivo da...

Posted by CAECO UFRJ on Segunda, 11 de maio de 2015

Colaboraram Amanda Prado e Luisa Cabral

Últimas de Rio De Janeiro