Mãe de menino morto no Alemão busca cadela desaparecida para retornar ao PI

Terezinha voltou ao Rio para buscar Pipoca e tirar documentos da família que perdeu no avião

Por O Dia

Cadelinha Pipoca está desaparecida desde o dia 19 de abrilarquivo pessoal

Rio - Além de lidar com a recente perda do filho, o menino Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, morto no Complexo do Alemão, no início de abril, Terezinha Maria de Jesus tem que enfrentar o sofrimento de não ter ao seu lado a cachorrinha Pipoca. A cadela, de 1 ano e quatro meses, está desaparecida desde o último dia 19, quando foi levada por uma mulher da casa de uma vizinha, enquanto a família de Eduardo estava no Piauí. 

"Vai fazer um mês que ela está sumida. Uma mulher chegou na casa da minha vizinha, onde eu tinha deixado a Pipoca, e disse que era sogra da minha filha e falou que ela tinha dado (o animal)", contou a mãe de Eduardo.

Terezinha se mudou do Complexo do Alemão quando Eduardo morreu. Ela pretende se mudar para Corrente, no Piauí, mas aguarda reencontrar Pipoca para levar consigo uma das últimas lembranças do filho.

"Estou no Rio pois tenho algumas coisas para resolver, como documentação que perdemos na viagem que fizemos para o Piauí, quando aconteceu a tragédia. Mas, até o final do mês de maio, eu estou resolvendo essa questão. Espero levar a Pipoca comigo", contou a mulher.

Informações que levem ao paradeiro de Pipoca devem ser enviadas para a página Alemão Morro, no Facebook:

www.facebook.com/complexorj

Últimas de Rio De Janeiro