Baleado, PM diz que delegado recusou socorrê-lo em viatura da Polícia Civil

Corregedoria interna da Civil informou que vai apurar circunstâncias do caso e verificar se houve desvio de conduta

Por O Dia

Rio - Abordado por três suspeitos, um policial militar foi baleado nesta quarta-feira ao reagir a tentativa de assalto, quando estava em seu Fiat Ideia, na Rua Barabara Heliodoro, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. O PM matou um dos suspeitos, um menor, com um tiro na cabeça e baleou o outro homem, Weslli Junior Ferreira, de 20 anos. O terceiro foi preso, Cristien Souza da Silva, 18. Mas a história não acabou aí. De acordo com o policial, ao ir à 33ª DP (Realengo) para pedir socorro, o delegado disse ao PM que não o socorreria em uma das viaturas da delegacia. 

Segundo informou a chefia da Polícia Civil, a Corregedoria Interna (Coinpol) vai apurar as circunstâncias do caso. Em levantamento preliminar, é dito que o policial militar, ferido, foi até a 33ª DP solicitar que os agentes da delegacia o acompanhassem até o local do assalto para tentar prender os autores do crime. O PM chegou na delegacia em um carro particular sendo dirigido por terceiros, informa a nota.

A corporação informou também que os policiais civis orientaram que o PM fosse ao hospital para receber atendimento médico, enquanto a equipe da delegacia foi ao local do crime e prendeu os criminosos. Também de acordo com a Civil, uma viatura da unidade acompanhou o carro do PM até o hospital.

Se comprovado que houve desvio de conduta, tanto por parte dos policiais civis, como por parte do policial militar, o procedimento será encaminhado à Corregedoria Geral Unificada (CGU), disse a chefia da Civil. 

Em áudio, PM reclama de omissão

Confira abaixo a transcrição do áudio do policial militar, que acusa o delegado de recusar socorro.

"Rapaziada, eu estou sendo socorrido para o Albert, um amigo está me socorrendo no meu carro. Eu entrei na 33, o cara me falou que não podia me socorrer, porque ele não pode socorrer na viatura. Entendeu? O delegado saiu para falar comigo e tudo mais, aí eu tinha entregado a minha arma e eu peguei uma Glock, aí eu troquei tiro... Um estava com uma Glock e outro estava armado... Eu acho que um outro foi baleado também, irmão. Eu estou indo pro Albert, estou sendo socorrido aqui".



Últimas de Rio De Janeiro