Pelas Ruas: Puro charme

Pop star norte-americano do R&B, Frank Fade celebra com as lideranças cariocas os 35 anos do ritmo entre nós

Por O Dia

Rio - Nesta sexta-feira à noite, Frank Fade, pop star norte-americano do Rhythm & Blues — popularizado no Brasil como charme — celebra com as lideranças cariocas os 35 anos do ritmo entre nós. A festança será na Quadra da Portela, em Madureira, bairro onde o charme tem grande expressão.

Cantores, grupos, DJs e dançarinos brasileiros vão ocupar a quadra da escola a partir de 20h com suas apresentações. O chamado Charme Do Charme prestigiará todos os que têm mantido vivo esse movimento.

72 horas

Foram 83 curtas de até seis minutos produzidos por 1 .300 pessoas, que tiveram o desafio de criar, filmar e finalizar um filme em 72 horas na Zona Portuária. Selecionados pelo público, hoje à noite, eles serão exibidos no Galpão da Ação da Cidadania. Serão também anunciados os ganhadores do 72Horas Rio Festival de Filmes. O projeto segue com um cineclube mensal a partir de agosto no MAR (Museu de Arte do Rio), com reexibição dos filmes e troca de experiências.

Filmes selecionados pelo público serão exibidos%2C nesta sexta-feira%2C no Galpão da Ação da CidadaniaNicole Freeman / Divulgação

Rosa de Ouro - 50 anos

Imperdível a mais que merecida homenagem ao antológico show ‘Rosa de Ouro’, idealizado em 1965 por Hermínio Belo de Carvalho, e que colocou Clementina de Jesus no mundo oficial da música nacional. Clementina tinha a seu lado nada mais, nada menos, que Araci Cortes, Elton Medeiros, Nelson Sargento, Paulinho da Viola, Anescarzinho do Salgueiro e Jair do Cavaquinho.

Na foto%3A Clementina%2C Araci Cortes%2C Elton Medeiros%2C Nelson Sargento%2C Paulinho da Viola%2C Anescarzinho do Salgueiro e Jair do CavaquinhoMarcos de Paula / Divulgação

A série ‘Rosa de Ouro – 50 anos’ segue no Teatro Sesc Ginástico nos dias 19 e 20, com o grupo Samba de Fato e cantoras cariocas (foto).

Teatro em casa

Vem aí a terceira edição do Festival Home Theatre. De 20 a 31, 36 cenas divididas em quatro mostras serão apresentadas em 50 casas da cidade, nas Zonas Sul, Norte e Oeste e no Centro. A Mostra Plataforma abre o festival, com ‘Modesta proposta gourmet’, dirigida por Zé Alex, e ‘Três vezes ele’, de Marcus Faustini, idealizador do projeto. No mesmo dia, haverá a Cena Internacional Convidada, ‘London Calling’, de Kerry Michael, Londres.

Jazz no Horto

Neste sábado, a Jazz Ahead fará uma homenagem a Jimmy Smith, considerado o maior organista da história do jazz americano. A segunda edição do ano, que acontecerá no Clube dos Macacos, no Horto, a partir das 22h, vai contar com o trio da canadense Vanessa Rodrigues, com participação especial do trompetista inglês Tom Ashe e do DJ Gustavo MM e VJ Animafoto.

Confetes

Fim de semana de muito samba. Jorge Aragão faz show com sua banda amanhã, a partir de 22h, no Centro de Convivência de Padre Miguel, na Rua Francisco Real 365. O batuque começa às 18h, aquele horário de saída do trabalho. No comando, Pedro Holanda e Bia Vaz, sempre com um convidado especial surpresa.

Tem Cerveja na Vila. Mas a vila, muito charmosa, é no Arpoador, na Rua Bulhões de Carvalho 524. Para quem quer experimentar cervejas artesanais cariocas e delícias de alguns dos bons botecos, como Bistrô do Alemão, Espírito do Porco e por aí vai. É programa para domingo, a partir de 13h30.


O Samba do Mafuá no Quintal está de volta em sua quarta edição, amanhã, a partir de 16h, na Rua Pirapora 104, em Madureira (perto da Portelinha). O time, formado por Alvaro Santos, Simone Costa, Leandro Pereira, Julio Oliveira, Wellington Luiz, Hudson Santos, Nene Brown e Miúdo, toca sambas de terreiro, de roda, de partido alto, dolentes e autorais.

O bloco de rua Arteiros da Glória faz roda de samba no Cine Virtual, na Lapa, hoje à noite, a partir de 18h. É o projeto ‘Mesa da Diretoria’, de graça, para quem quiser chegar.

FALTA DE LIMITE A ATUAÇÃO dos ambulantes que montaram imensas barracas sábado, na Pedra do Sal. Além de indevida, a ocupação era uma ameaça à segurança de quem estava ali para desfrutar de um projeto cultural tão bacana. Elas fechavam a passagem e impediam a circulação.

Por Rita Fernandes

Últimas de Rio De Janeiro