Integrante da Velha Guarda da Portela morre atropelado em Oswaldo Cruz

Motorista fugiu sem prestar socorro ao idoso. Músico teve traumatismo craniano e várias fraturas

Por O Dia

Rio - A Portela está de luto. O percursionista da Azul e Branca, Carlos Xisto da Costa, conhecido como Timbira, 61, foi atropelado no sábado de manhã na calçada da Estrada do Sapé, em Oswaldo Cruz, perto da sua casa.

Timbira, que era componente da Velha Guarda da Portela, foi levado para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes, mas não resistiu.

Monarco (à esq.) com Timbira exibem a logo dos Jogos do Rio 2016Divulgação

“Quando me disseram que meu pai sofreu um acidente, não esperava encontra-lo todo quebrado. Ele teve múltiplas fraturas, costela, pélvis, cabeça”, conta Monique Azevedo da Costa, 34, filha do sambista. Segundo ela, o pai tinha ido ao trabalho de outro filho levar o neto, mas no meio do caminho resolveu voltar para casa. “Um carro vermelho o pegou entre duas lombadas. Imagina a velocidade do motorista?”

O vice-presidente da agremiação, Marcos Falcon, 51, chegou ao hospital logo após Timbira. “Ouvi uma das paramédicas dizer que era difícil sobreviver. Ele estava mal, o caso era crítico. Perdi um grande amigo.”
Tia Surica, 74, componente mais famosa da velha guarda, sente como se tivesse perdido um filho. “Timbira está fazendo muita falta, ele era meu braço direito, era meu tudo. Dizia para todo mundo cuidar bem de mim, para cuidar da mãe dele”, relembra ela.

Segundo a Polícia Civil, o caso foi registrado na 30ª DP (Marechal Hermes), que está investigando as circunstâncias da morte. Os familiares serão chamados para ser ouvidos na delegacia. Agentes estão fazendo diligências na busca de informações que ajudem no caso. O corpo de Timbira será enterrado nesta segunda-feira, no Cemitério de Irajá, às 10h.

O caso do ritmista ocorre pouco após a morte da nadadora Sarah Corrêa. A jovem medalhista pan-americana, de 22 anos, foi atropelada No último dia 3 na Estrada dos Bandeirantes, em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio.

Sarah foi sepultada com o uniforme dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, quando ganhou a medalha de prata no revezamento 4x200m livre.

Técnico em manutenção da Comlurb, casado e pai de uma filha de 22 anos, Paulo Coelho Soares, de 57 anos, também foi atropelado no mesmo local que a nadadora logo depois e morreu.

O motorista que matou os dois e fugiu sem prestar socorro foi identificado como Diogo Barreira Brito, de 29 anos, segundo o RJ TV, da TV Globo. No primeiro depoimento na delegacia, ele disse que não prestou socorro às vítimas porque estava ferido e procurou um hospital. A delegacia da 42ª DP aguarda o laudo da perícia de local e imagens de câmeras de segurança já estão sendo analisadas.

Últimas de Rio De Janeiro