Após explosão em prédio, Procon irá investigar empresas de gás

Objetivo é verificar se elas realizam inspeção de segurança em todos os estabelecimentos e residências do estado, como é estalebelecido por lei

Por O Dia

Rio - Após acidente em prédio que ocorreu na última segunda-feira em São Conrado, Zona Sul do Rio, o Procon Estadual anunciou irá investigar as concessionárias CEG e CEG-Rio, além das empresas de gás Supergasbrás, Minas Gás, Ultragaz, Liquigás e Copagás.

O objetivo é saber se as concessionárias estão cumprindo o que determina a Lei Estadual 6.890/2014, que trata da obrigatoriedade da inspeção de segurança, a cada cinco anos, nas instalações de gás em residências e estabelecimentos comerciais.

Instalações de gás em imóveis do Rio não têm fiscalização

Liberação de prédio em São Conrado deve demorar meses

Em matéria publicada no DIA, foi noticiado que muitos dos aparelhos de gás no Rio não tem fiscalização. Levantamento realizado em 2014 por uma empresa especializada em vistoria predial aponta que 30% de 2.500 propriedades examinadas na cidade estão vulneráveis. No acidente em São Conrado, quatro pessoas ficaram feridas e uma está em estado grave.

A legislação determina que é responsabilidade das empresas dar ampla divulgação aos consumidores sobre a obrigatoriedade da autovistoria, adotando para isto medidas, como: divulgar o procedimento em seus postos de atendimento, além de realizar campanhas em seus veículos de cobrança, no contato com o cliente e, pelo menos uma vez ao ano, em veículos de informação de massa, como jornais e revistas de grande circulação. As empresas também devem comunicar aos órgãos competentes eventuais consumidores que não permitam a realização da inspeção.

Últimas de Rio De Janeiro