China pode investir em construções de fábrica e centro de manutenção de trens

Primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, apresentou nesta quarta-feira um dos 15 trens que irão circular na Linha 4

Por O Dia

Rio - O Rio conta com nada menos com 86 equipamentos fabricados na China servindo ao transporte público: são 66 trens na SuperVia, 19 composições do metrô e uma barca, que faz a travessia na Baía de Guanabara. A quantidade vai aumentar para 142 até as Olimpíadas. Mas a parceria com a China não vai parar por aí.

Nesta quarta-feira, o primeiro ministro chinês Li Keqiang veio à cidade para se encontrar com o governador Luiz Fernando Pezão e discutir novos projetos, como a instalação de um centro de manutenção em Deodoro, que atenda a todos esses modais.

O governo estadual quer atrair mais investimentos chineses e propôs que a fábrica que produziu os trens da SuperVia e do metrô que circulam na Região Metropolitana abra uma filial no Rio. Os dois dirigentes avaliam ainda a possibilidade da construção de estaleiros que produzam barcas no estado.

Ao lado de Pezão, o ministro chinês participou da primeira viagem tripulada de um dos trens que atenderá a Linha 4 do metrô. Em seguida, visitou uma exposição de equipamentos e manufaturados da China, no Píer Mauá. As atividades externas acabaram com uma reunião na barca Pão de Açúcar.

“O primeiro ministro se mostrou receptivo, mandou empresários instalarem unidades e oficinas de reparo, tanto para os trens, quanto para as barcas”, comentou Pezão.

O governador contou que os chineses não estão interessados apenas em transporte, mas também em um projeto de expandir a banda larga de internet para o interior do estado. “Temos o dever de casa de tirar esses investimentos do papel. Mostramos para ele que o Estado do Rio é estratégico. Abrimos canais de negociações para receber esses investimentos.”

O primeiro-ministro Li Keqiang afirmou, por sua vez, que a China não quer apenas exportar, mas também produzir manufaturados no Brasil. “Gostaríamos de instalar fábricas e linhas de produção, garantindo mais empregos para os cidadãos locais”, comentou.

Parceria em projeto de ferrovias

Em reunião com a presidenta Dilma Rousseff, o primeiro-ministro chinês tratou da construção de duas ferrovias que vão beneficiar o Rio de Janeiro. Segundo o secretário de estadual de transportes, Carlos Roberto Osorio, há o projeto de uma ferrovia que ligará o Porto de Itaguaí até o de Vitória, no Espírito Santo, passando pelo Porto do Rio e pela Reduc.

O projeto da ferrovia Rio-Vitória ficará pronto ainda este semestre. Osorio acredita que até o final do ano possa haver licitação. “Nosso objetivo é que a Rio-Vitória esteja no primeiro grupo das novas concessões de ferrovias a ser lançado pelo Governo Federal”, contou.

O governo chinês também quer participar da construção de uma ferrovia que ligará os oceanos Atlântico e Pacífico, saindo de Campos e até o Peru. Chamada de transoceânica, a obra está avaliando em R$ 30 bilhões.

Últimas de Rio De Janeiro