Lupi prevê saída do PDT do governo Dilma

Presidente do partido planeja retirada do apoio após a votação das medidas provisórias no Senado

Por O Dia

Rio - Presidente do PDT, Carlos Lupi diz que o partido sairá do governo Dilma Rousseff: “Não tem jeito”, afirma. Para ele, isto ocorrerá após a votação, pelo Senado, das medidas provisórias que endurecem a concessão de benefícios ao trabalhador. O PDT ocupa o Ministério do Trabalho.

A exemplo do ocorrido na Câmara dos Deputados, os senadores pedetistas votarão contra as medidas. Segundo Lupi, o gesto determinará o “desquite amigável” que será marcado pela saída do ministro Manoel Dias.

Socorro ao médico
Circula entre médicos e-mail que questiona o atendimento ao médico Jaime Gold, morto na Lagoa. O texto não banca que ele poderia ter sido salvo, mas ressalta falhas no socorro feito no local (aplicação insuficiente de soro e perda de tempo na colocação de colar cervical). Cita também limitações do Hospital Miguel Couto, para onde ele foi levado.

O branco da arma
Os professores Deonísio da Silva e Claudio Moreno explicam: a expressão “arma branca” surgiu no século 18 para caracterizar armas de mão que não utilizavam pólvora. A palavra “branca” remete à cor das lâminas, feitas com aço branco ou prateado.

Prosa em risco
Está ameaçada a participação do escritor português José Luís Peixoto no Rio em Prosa, marcado para o dia 17, no Colégio Pedro II: a Faperj ainda não depositou a verba prometida para o evento. A Secretaria de Ciência e Tecnologia diz que vai negociar a liberação da grana.

Benefícios
Pezão quer prorrogar até 2025 os benefícios tributários — que acabariam em 2019 — para empresas do Comperj. Afirma que é preciso haver uma adequação à crise e às mudanças no setor.

Últimas de Rio De Janeiro