Alunos são abrigados no corredor durante tiroteio no Parque Proletário

Secretaria Municipal de Educação disse que escola possui autonomia para decidir se abre ou fecha durante tiroteio

Por O Dia

Crianças se protegem de tiroteio no corredor da Escola Municipal Monsenhor Alves Rocha%2C no Parque ProletárioReprodução Facebook

Rio - Funcionários da Escola Municipal Monsenhor Alves Rocha usaram o corredor da unidade como escudo para proteger os alunos durante um tiroteio ocorrido, na manhã desta terça-feira, na comunidade do Parque Proletário, no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio. Imagem postada na página "Coletivo Papo Reto", no Facebook, mostra as crianças refugiadas aglutinadas naquele pequeno espaço do colégio.

"Na Vila Cruzeiro agora pela manhã. Escola Municipal Monsenhor Alves Rocha. 'Tiroteiooooooo....abaixa...' Desespero de uma professora. Os alunos acuados nos corredores da Escola", aparece escrito na legenda da imagem na rede social.

Por meio de nota, o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Parque Proletário disse que policiais da UPP entraram em confronto com criminosos armados na Rua 23, por volta das 10h, durante patrulhamento. Os bandidos fugiram e, até o momento, não há informações de feridos. O caso está sendo registrado na 22ª DP (Penha).

Procurada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Educação (SME) explicou que a direção da escola possui autonomia para decidir se abre ou fecha a unidade durante um confronto, para manter a segurança de seus alunos e que, no episódio desta terça, a direção da Escola Monsenhor Alves Rocha optou por abrigar os alunos no corredor durante o tiroteio. Ainda segundo a secretaria, a unidade funciona normalmente e não foi atingida por disparos.

Últimas de Rio De Janeiro