Transexuais poderão usar nome social no Enem

Com mudança, todos os candidatos nesta condição devem ser tratados pelos fiscais com nome com o qual se identificam

Por O Dia

Rio- A alta da inflação chegou ao mais importante exame de educação no Brasil. A nova taxa de inscrição no Enem pegou de surpresa os estudantes do Ensino Médio. Saltou de R$ 35 para R$ 63, um reajuste de 80% no valor da prova, cujas inscrições foram abertas ontem. “Tomei um susto. Aumentou muito. A gente já paga tantos impostos. A prova deveria ser de graça para todos. Na minha opinião, é o governo querendo lucrar com o exame”, criticou Larissa Brasil Skaf, 17 anos, aluna do 3º ano do Ensino Médio, no Sistema Elite de Ensino, que vai tentar vaga no curso de Gastronomia.

Estudantes que vão concluir o Ensino Médio este ano em escolas públicas e participantes que declararem carência são isentos da taxa. Podem solicitar a isenção, aqueles que têm uma renda familiar por pessoa igual ou inferior a um salário mínimo e meio e que cursaram todo o Ensino Médio em escola da rede pública ou como bolsista integral em colégios particulares.

Sem direito à isenção%2C Larissa criticou o reajuste da inscrição%3A “A gente já paga tanto imposto. A prova deveria ser de graça para todos”Divulgação

Quem não conseguir isenção, deverá pagar a taxa até 10 de junho.As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet no site do concurso (www.enem.inep.gov.br), até as 23h59, do dia 5 de junho - ontem o site ficou congestionado. As provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro em mais de 1,7 mil municípios em todo o país.

O Ministério da Educação (MEC) espera que mais de 9 milhões de pessoas se candidatem a uma vaga nas universidades. O candidato precisará ter um e-mail próprio para se inscrever - todas as informações sobre as provas, como cartão e local, serão enviadas pelo e-mail - ao contrário dos outros anos, em que os candidatos recebiam o material em casa. 

Outra novidade é que estudantes que não terminarão o Ensino Médio só poderão participar como treineiros. O resultado não servirá para obter diploma. O MEC também está inovando na relação com os inscritos que faltarem aos exames. Aqueles que forem isentos da taxa e faltarem serão obrigados a pagar inscrição em 2016.

Transexuais respeitados

Pela primeira vez, travestis e transexuais poderão solicitar o uso do nome social no Enem após a inscrição pela internet. O nome social passou a ser adotado oficialmente na aplicação do exame no ano passado, mas era preciso fazer o pedido por telefone. Com a mudança, todos os candidatos nesta condição deverão ser tratados pelos fiscais de prova pelo nome com o qual se identificam e não pelo que aparece no documento de identidade.

Os transexuais também terão direito de usar o banheiro de acordo com sua opção sexual. No ano passado, 95 estudantes solicitaram o uso do nome social na inscrição. Desta vez, os participantes que desejarem esse atendimento deverão enviar cópia do documento de identidade, formulário preenchido e foto entre 25 de maio e 5 de junho.

Serviço 

INSCRIÇÃO
Estudantes terão até 5 de junho para se inscrever no exame. A taxa custa R$ 63 e deve ser paga até 10 de junho.

ISENTOS
Alunos que cursam o último ano do Ensino Médio estão isentos da taxa de inscrição, além dos comprovarem carência. As informações devem ser comprovadas pelos participantes. O resultado será informado na página da inscrição.

E-MAIL PRÓPRIO
Este ano não serão aceitas inscrições de vários candidatos em um único endereço eletrônico. Cada um terá que ter o seu e-mail.

INÍCIO DO EXAME
Os portões serão fechados às 13h. A novidade é que este ano as provas só começam 30 minutos depois do fechamento dos portões.

PROVAS
No primeiro dia, candidatos terão 4h30 para fazer prova de ciências humanas e ciências da natureza. No segundo dia, o prazo aumenta para 5h. As questões serão de linguagens, matemática e redação.

ATENDIMENTO
Gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar, pessoas que guardam o sábado (sabatistas) e todos os demais candidatos que apresentem algum tipo de necessidade especial poderão solicitar atendimento específico ao MEC


Últimas de Rio De Janeiro