Funcionários do Pão de Açúcar adoecem por conta de obras em filiais

Vídeos e fotos enviados ao DIA mostram como está a situação

Por O Dia

Rio - A sola do sapato deslizando na poeira é a primeira sensação ao entrar na filial do supermercado Pão de Açúcar de Copacabana, na Rua Siqueira Campos. Desde o início das obras de reforma, os clientes sabem que a hora das compras será insalubre. Alguns filmaram e fotografaram e enviaram para o WhatsApp do DIA (98762-8248), que constatou a situação nesta quinta-feira em visita a duas unidades do grupo.

Fiação exposta e muita poeira nos produtos são queixas de clientesAgência O Dia

Em Copacabana, os espaços vazios nas prateleiras estão cobertos de desenhos feitos a dedo no pó de obra. Sobre a geladeira de queijos, um funcionário opera o instrumento em um buraco que toma boa parte do teto. A maioria dos clientes prefere dar meia volta. Outros tapam os ouvidos e driblam a escada de madeira. “Chego em casa com dor na cabeça e vou direto lavar as mãos. Tenho medo de ficar doente”, disse a advogada Maria Figueiredo, de 73 anos, cliente.

A situação é pior para os funcionários, que precisam dividir espaço com as obras durante toda a jornada de trabalho. Na Rua Marquês de Abrantes, no Flamengo, é possível ouvir o barulho da britadeira antes mesmo de entrar no mercado. No interior, o canteiro de obras fica próximo ao caixa, coberto por uma lona.

Quase sem voz, uma funcionária da confeitaria faz força para atender os clientes, sem saber que está sendo filmada por um deles. O som é ensurdecedor (veja o vídeo abaixo), muito além do volume da voz. “ Estamos ficando doentes convivendo com entulho e poeira o dia inteiro”, diz um funcionário.

Em nota, Pão de Açúcar informou que iniciou reformas com objetivo de proporcionar um melhor ambiente de compras e que está revisando os projetos das obras.

Leia a nota na íntegra:

O Pão de Açúcar opera de acordo com as legislações vigentes. A rede iniciou um processo de reformas em suas lojas no Rio de Janeiro com objetivo de proporcionar um melhor ambiente de compras e em atendimento aos pedidos dos seus clientes. A rede se desculpa por qualquer transtorno e informa que as obras foram programadas buscando o menor impacto na operação. Mesmo assim, a empresa está revisando os projetos das obras e assim mitigar ainda mais os impactos. A rede esclarece que não há registros de qualquer problema de saúde envolvendo seus colaboradores e/ou clientes e se mantém à disposição.

Reportagem de Lucas Gayoso


Últimas de Rio De Janeiro