Com elevador quebrado, pacientes do Into encaram via-crúcis por atendimento

Pacientes com dificuldade para se locomover fazem enorme esforço para não perder consultas na unidade de saúde

Por O Dia

Rio -  Apoiado num andador e a passos muito lentos devido a um problema na perna, Francisco Chagas, de 68 anos, teve que se esforçar mais do que de costume para conseguir chegar nesta quarta-feira, de manhã, à consulta no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Centro. É que um dos três elevadores da passarela em frente à unidade estava quebrado. O elevador é importante principalmente para atender os pacientes da unidade ortopédica.

O equipamento é justamente o que serve para os pacientes do Into atravessarem a pista e chegarem até o hospital. Pedestres também podem usá-lo. Sem o elevador, Francisco teve que descer e subir dois lances extensos da passarela. “O elevador está quebrado. Tentei pegar o outro mas ele não serve. Vou ter que descer tudo isso”, lamentou ele, que mora em Queimados e tinha enfrentado mais de duas horas de ônibus para se consultar.

Francisco se esforça para subir a rampa com seu andador. Deivson%2C de muletas%2C reclama que é a terceira vez que vê o elevador do local quebradoEstefan Radovicz / Agência O Dia

“Essa é a terceira vez que esse elevador quebra”, contou o operador de máquinas Deivson da Silva, de 23 anos. Vítima de um acidente de moto, ele tem que andar de muletas porque não pode apoiar o pé no chão. “Isso é um absurdo. É muito cansativo para mim fazer esse trajeto andando”, reclamou ele, que mora em Vilar dos Teles, em São João de Meriti.

Com prótese na perna e na coluna, Creuza, de 49 anos, moradora de Araruama, na Região dos Lagos, também teve dificuldades para chegar ao Into ontem. Apoiada numa muleta, ela precisou caminhar rápido para não perder a consulta.

“Já aconteceu isso outras vezes. Tenho medo de forçar a minha perna e minha coluna porque tenho prótese, mas não tem outro jeito. Tenho que andar todo esse trajeto. E hoje (ontem) ainda vim de ônibus comum porque o da prefeitura de Araruama quebrou”, revelou Creuza.

Conserto está previsto para esta sexta-feira

Através de nota, a assessoria de imprensa do Into informou que um dos três elevadores da passarela da Avenida Brasil, aos quais o Instituto presta apoio à Prefeitura do Rio em relação à manutenção, teve problemas técnicos na tarde de terça-feira. A empresa especializada foi comunicada e já deu início ao serviço, que ainda não foi finalizado. O término do reparo está previsto para amanhã.

Ainda segundo o instituto, os pacientes da unidade e outros transeuntes que utilizam o local podem fazer uso da passarela e dos outros dois elevadores, que estão em funcionamento normal diariamente, das 6h às 17h30.

Últimas de Rio De Janeiro