D. Orani pede o fim da violência no Corpus Christi

Cardeal-arcebispo reza pela paz em um dia de intensas celebrações e de procissões sobre os tapetes de sal

Por O Dia

Rio - Milhares de fiéis do Rio, de Niterói e São Gonçalo celebraram ontem o Corpus Christi, com direito aos tradicionais tapetes de sal. Na Catedral de São Sebastião, o cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, ressaltou a importância da fé, contra a violência que vivemos diariamente no país e no mundo. “Em meio aos tempos difíceis que estamos vivendo em nossa cidade, com muita violência, nossas orações e preces a Deus são voltadas pela paz mundial. Que a nossa missão de fazer o bem vencendo o mal ecoe e transforme muitos corações”, disse.

Este ano, a festa de Corpus Christi teve como tema: “Eucaristia, alimento para a esperança”. No Rio, os tapetes foram confeccionados no entorno da Catedral Metropolitana de São Sebastião, na Avenida Chile, no Centro, e da paróquia de São Francisco Xavier, na Tijuca. Nesse bairro, onde houve uma procissão pelas ruas, os trabalhos começaram a ser feitos na última segunda-feira e foram concluídos na quarta.

Fiéis usaram 60 toneladas de sal para confecção dos tradicionais tapetes de rua que marcam o caminho da procissão de Corpus Christi%2C nesta quinta-feira%2C no Rio Foto%3A Fabio Gonçalves / Agência O Dia

Uma missa foi presidida pelo cardeal-arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, ontem de manhã, às 10h, na Igreja de Sant’Ana. Ali no Centro, houve outra procissão: os fiéis se reuniram na Igreja da Candelária, às 15h e seguiram até a Catedral de São Sebastião. Após a chegada dos fiéis, o cardeal-arcebispo Dom Orani Tempesta presidiu a Santa Missa às 17h.

Para o coordenador dos eventos de Corpus Christi no Rio, padre Leandro Lenin, estar na procissão é sinal e “testemunho de proximidade ao Senhor”: “Todos são convidados a levar Cristo ao lugar mais central da vida da cidade. Interessante é fazer uma reflexão sobre como o Senhor passa pelas ruas. Somos surpreendidos, não só pela beleza de Jesus, mas por aquilo que nossos irmãos vão preparar no chão da Catedral, que são os tapetes”, comentou o religioso.

Em Niterói, a preparação para a procissão se deu durante a manhã de ontem. Fiéis se reuniram na Avenida Ernani do Amaral Peixoto para a composição dos tapetes de rua. Uma missa, seguida de procissão, aconteceu ao ar livre em frente à Câmara de Vereadores, no Centro de Niterói.

Preparados pelos próprios fiéis para a passagem das procissões, os tapetes do Rio, de São Gonçalo e Niterói formavam figuras de cunho religioso feitas a partir dos mais diversos materiais: sal, serragem,pedras coloridas, borra de café, flores e areia. 

São Gonçalo detém recorde

São Gonçalo detém o título de cidade com o maior tapete de sal da América Latina. Ali, a confecção dos tapetes reuniu centenas de fiéis durante toda a madrugada. De 22h de quarta-feira às 5h de ontem, frequentadores de 25 paróquias estiveram na rua Coronel Moreira César, para fazer 235 imagens sobre o asfalto. Foram utilizados no total 60 toneladas de sal, 300 sacos de serragem, corante e pó de café.

Às 8h, uma missa conduzida pelo arcebispo Dom José Francisco Rezende foi realizada em frente à Igreja Matriz de São Gonçalo, seguida de procissão. “Nunca tinha feito um tapete de sal. Foi lindo e muito gratificante estar lá”, contou a auxiliar-administrativa Mariana Brum, de 20 anos.

Reportagem de Vinícius Amparo

Últimas de Rio De Janeiro