Polícia prende integrantes da banda ConeCrewDiretoria

Fãs relatam que a prisão do grupo foi depois que os integrantes discursaram a favor da legalização da maconha

Por O Dia

Rio - O grupo de rap ConeCrewDiretoria foi detido na madrugada deste domingo pela Polícia Militar durante show realizado na cidade de Paty do Alferes, no sul do Rio. Pelo WhatsApp do DIA (98762-8248), fãs da banda relataram que a apresentação do grupo durante a tradicional 'Festa do Tomate' que ocorre na cidade foi interrompida depois que integrantes discursaram a favor da legalização da maconha. Diversas canções do grupo também falam sobre o consumo da erva.

Membros do grupo ConeCrewDiretoria foram presos durante uma apresentação em Paty do Alferes%2C na Região Sul do EstadoReprodução Facebook

De acordo com policiais do 10º BPM (Barra do Piraí), que atende a região, outros presentes no evento cobraram uma intervenção policial para impedir as falas pró-maconha. Segundo os relatos, haviam crianças no local, e a retirada dos músicos foi feita sem transtorno. Nas redes sociais, porém, fãs da banda dizem que os integrantes foram agredidos após um deles anunciar que a PM queria acabar com o show. Houve confusão, correria e brigas depois da detenção, contaram os fãs que estavam presentes via WhatsApp do DIA.

Os membros da ConeCrewDiretoria estão agora prestando depoimento na 88ºDP (Barra do Piraí). A reportagem ainda não conseguiu contato com representantes do grupo e com a prefeitura de Paty do Alferes, responsável pela organização do evento.

Integrante da banda foi preso em fevereiro 

No mês de fevereiro, André da Cruz Teixeira Leite, o Cert foi preso por plantar maconha em casa. A denúncia teria partido através da ex-sogra do músico. Ele foi solto no início de abril. Na decisão, o juiz Enrico Caetano, da Comarca de Miguel Pereira, disse que não havia nada que provasse que a droga encontrada com o rapper seria usada para o comércio ilegal.

O Ministério Público, autor da denúncia, ofereceu proposta de acordo no valor de R$ 10 mil para ser pago em cinco parcelas, acatada pelo juiz e aceita pela defesa do músico.

Últimas de Rio De Janeiro