Jovem agredida na Gávea apresenta melhora em seu estado de saúde

Ana Carolina Romeiro, de 22 anos, segue na UTI da Clínica São Vicente após passar por várias cirurgias

Por O Dia

Rio - Agredida durante uma festa numa casa na Gávea, na madrugada do último sábado, Ana Carolina Romeiro apresentou melhora em seu quadro de saúde. Internada na Unidade de terapia intensiva (UTI) da Clínica São Vicente, no mesmo bairro, a jovem "evoluiu satisfatoriamente nas últimas 24 horas" após a retirada da ventilação mecânica. De acordo com o boletim médico divulgado nesta segunda-feira, ela está lúcida e respirando espontaneamente. Porém, deve permanecer na unidade até terça-feira.

Ferida por José Philippe%2C a jovem Ana Carolina Romeiro segue internada em estado grave na Clínica São Vicente%2C na GáveaReprodução Facebook

Ana Carolina foi agredida com um abridor de vinho com uma faca na ponta por José Philippe Ribeiro de Castro, de 29 anos. Ela foi atingida por golpes de lâmina no fígado e coração. Seu namorado, Gabriel Silva, também está internado, mas no Hospital Copa D'Or. Procurada, a assessoria de imprensa da unidade alegou que não teve autorização da família para informar seu estado de saúde. Lourenço Mayer Brenha também foi agredido, mas sem gravidade.

José Philippe prestou depoimento na manhã de domingo na 14ªDP (Leblon) e em seguida foi encaminhado para a Polinter, onde cumpre prisão temporária de cinco dias. Ele responderá pelos crimes de tentativa de homicídio e lesão corporal.

José Philippe Ribeiro de Castro%2C de 29 anos%2C foi preso neste domingo. Ele é acusado de agredir três pessoas durante uma festa na GáveaFabio Gonçalves / Agência O Dia

A ficha criminal de José Philippe chamou a atenção do delegado que o considerou uma pessoa agressiva. São pelo menos oito passagens por crimes de agressão corporal, de trânsito e de constrangimento ilegal.

"Em depoimento, Gabriel Silva disse que estava indo ao banheiro quando foi agredido por trás, sem maiores motivos. As outras vítimas foram atingidas ao tentar separar. Também descartamos a hipótese de drogas no bolso da vitima após averiguarmos as roupas. Ouviremos os outros seis participantes da festa durante a semana para tentar pedir a prisão preventiva do acusado", afirmou o delegado Pedro Casaes, que também disse ter confiscado um saca-rolha e garrafas, para saber qual objeto foi utilizado para o crime.

Últimas de Rio De Janeiro