Mãe que deixou criança em prédio será indiciada por abandono e maus tratos

Menino de 7 anos ficou sozinho em apartamento no Leme, Zona Sul; Agentes da 12ª DP (Copacabana) procuram a mulher

Por O Dia

Rio - A mãe do menino de 7 anos abandonado dentro do seu apartamento, no Leme, Zona Sul do Rio, já foi identificada pela polícia civil, que a indiciará pelos crimes de abandono de incapaz e maus tratos. Agentes da 12ª DP (Copacabana) realizam diligência para localizar a mulher. 

Menino de 7 anos é abandonado pela mãe dentro de apartamento no Leme

A criança foi resgatada por bombeiros do grupamento de Copacabana no fim da da noite de domingo. O menino estava no 11º andar do Edifício Titan. Os bombeiros chegaram ao local depois de serem chamados por policiais militares. Um morador do prédio vizinho, que fica na Rua Roberto Dias Lopes, entrou em contato com os PMs informando que a criança, de 7 anos, havia sido deixada sozinha em casa pela mãe.

O menino de 7 anos foi resgatado pelos bombeiros do 11º andar do prédio localizado na Rua Roberto Dias Lopes%2C no LemeEstefan Radovicz / Agência O Dia

Depois de retirado pelos bombeiros, o menino foi levado para a 12ªDP (Copacabana), onde o caso foi registrado como abandono de incapaz. Na manhã desta segunda-feira, seguiu para o Conselho Tutelar e em seguida encaminhado para um abrigo em Del Castilho, na Zona Norte. O pai da criança é um holandês que reside no próprio país. 

Segundo a polícia, o menino estava trancado há dois dias dentro do apartamento. Um vizinho do prédio em frente escutou os gritos da criança, chamando o porteiro. Foi quando a Polícia Militar foi avisada do caso. "O menino estava meio sujo, com sinais de abandono. A única coisa que ele tinha para comer era um pote de ervilha que ela deixou", afirmou a delegada Thaiane Moraes.

A mãe, conhecida apenas como Talita, já havia deixado a criança sozinha em outra ocasião. "Ela já tem um histórico. Há dois anos ela já deixou o filho alguns dias trancado. Estamos procurando a mãe, mas ainda não a encontramos", diz Thaiane Moraes.

Seguno o porteiro do edifício, Talita teria mais dois fillhos, mas que não moram com ela. Ele afirmou que a mulher, geralmente quando sai, deixa a criança acompanhada da avó ou do tio.

Últimas de Rio De Janeiro