Para reduzir roubos, PM cria UPParque

Programa contempla Lagoa, Aterro e Zona Norte, com policiamento e investimento da iniciativa privada

Por O Dia

Rio - Depois de vários ataques a ciclistas e frequentadores de parques públicos, a Polícia Militar vai colocar em prática um programa em parceria com a iniciativa privada para aumentar o policiamento nessas áreas de lazer. Batizado de Unidade de Policiamento em Parques (UPParque), o projeto se assemelha aos já utilizados trabalhos que também promovem a integração dos policiais com a população. A estreia será na Lagoa Rodrigo de Freitas, mas ainda sem data. O planejamento prevê ainda que a Quinta da Boa Vista, o Aterro do Flamengo e o Parque Madureira também sejam contemplados.

Após reuniões com empresários dispostos a ajudar financeiramente a polícia do Rio, o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, anunciou ontem as medidas no Programa GloboNews Miriam Leitão. O projeto foi criado pelo comandante-geral da PM, coronel Alberto Pinheiro Neto, e o grupo privado será responsável pela compra de bases e equipamentos para os policiais, como uniformes, bicicletas e armamentos não-letais

Frequentadores do Parque Madureira aprovam o reforço da políciaFernando Souza / Agência O Dia

Na Lagoa, serão criadas duas bases, no Parque dos Patins e no Corte do Cantagalo, uma delas será a sede administrativa da UPParque. Os policiais (número ainda não divulgado) serão coordenados por um capitão, responsável pelo mapeamento e divisão da área em setores. Cada setor será patrulhado pelo mesmo grupo, para que eles sejam reconhecidos e criem relacionamento com os frequentadores, que permita denunciar as irregularidades.

Além do projeto, os empresários se comprometeram a custear o conserto de 200 motos da PM que não estão circulando por problemas mecânicos. Eles também prestarão consultorias.

Sobre a criação da UPParque, Beltrame explicou que não receberá dinheiro dos empresários. A Secretaria de Segurança enviará os projetos e os empresários, por meios próprios, comprarão os equipamentos solicitados. “Apresento o custo do projeto com as plantas e os equipamentos e eles compram do jeito que quiserem. Eu não quero dinheiro”, afirmou o secretário. Na Lagoa seria preciso investir R$ 450 mil. 

Em outro acordo com a iniciativa privada, Beltrame pretende dispor de 2 mil smartphones para PMs fazerem gravações de abordagens nas comunidades.

População reclama de assaltos

O pipoqueiro Robson da Silva, 21 anos, disse que costuma ver grupos de menores que roubam celulares e saem correndo dentro do Parque Madureira. E reclamou que o policiamento é mais forte apenas no fim de semana. “Às vezes tem carros da Guarda Municipal, mas não é sempre”, reclamou. A Guarda Municipal informou que atua com 50 agentes no local.

Na Quinta da Boa Vista, a iluminação é falha à noite e quase não se vê policiamento. “Passo aqui com o maior cuidado, tentando evitar os locais mais desertos”, disse Ítalo Araújo, de 19 anos.

Últimas de Rio De Janeiro