Fiéis lotam catedral para missa de Santo Antônio, na Baixada

Maioria fez jus à fama de casamenteiro do santo, com pedidos para encontrar um par

Por O Dia

Rio - A catedral da Avenida Marechal Floriano Peixoto, no Centro de Nova Iguaçu estava lotada antes mesmo de começar a missa de Santo Antônio, orada pelo cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, celebrada neste sábado.

GALERIA: Dom Orani celebra missa de Santo Antônio

A maioria dos fiéis fez jus à fama de casamenteiro do santo e pediam para encontrar um companheiro. "Peço saúde, mas um namorado seria bom também", diz Sandra Cavalcante, de 51 anos". Teve até quem pedisse por terceiros. "Peço pelo meu filho Bernardo, que tem 23 anos e está sozinho. Além de bênção para o meu casamento, que já dura 26 anos", conta a psicóloga Adiléia Cardoso, de 57.

Dom Orani celebra missa de Santo Antônio em Nova IguaçuSeverino Silva / Agência O Dia

Já Dom Orani, lembrou um outro lado do santo casamenteiro. Em seu sermão, o cardeal arcebispo destacou a pregação ao caminho do bem a que o santo dedicou sua vida e pediu para que todos seguissem o exemplo. "Santo Antônio teve uma vida de missões, obediência e sabedoria. Ele pregou pelo caminho do bem sempre. Precisamos de homens como ele, que estimulem os outros a praticar a paz", pregou o cardeal arcebispo.

Para simbolizar o espírito de compaixão pelo próximo destacado na missa, a tradicional distribuição de pães ocorreu logo após a cerimônia. É que enquanto viveu, Antônio de Pádua era conhecido por seu espírito caridoso. Por isso, o Pão de Santo Antônio é ofertado aos fiéis no dia 13 de junho. O ritual foi seguido em outras paróquias, como a que leva o nome do santo, na Rua dos Inválidos, no Centro do Rio. Por lá, 30 mil pãezinhos foram dados aos quatro mil fiéis que passaram por lá.

Últimas de Rio De Janeiro