Amigos e parentes em estado de choque com assassinato em Niterói

Carlos Jorge Calmon foi morto na frente da filha de 7 anos durante assalto. Menor é apreendido e confessa o crime

Por O Dia

Rio - Sem qualquer chance de reação, mais um inocente foi vítima da violência atribuída a menores no estado. Desta vez, o crime aconteceu no Centro de Niterói, Região Metropolitana do Rio. O marítimo Carlos Jorge Honorato Calmon, de 33 anos, foi morto a tiro, na noite de domingo, na frente da filha, de 7 anos, e da esposa, quando deixava um parque de diversões. O suspeito é um adolescente de 16 anos. Ele foi apreendido e reconhecido como autor do disparo pouco depois do crime. Um outro jovem suspeito, também menor de idade, segue foragido.

Reconhecido pela esposa de Carlos Jorge Honorado Calmon%2C o adolescente de 17 anos confessou ter atirado na vítima. Outro menor segue foragidoFabio Gonçalves / Agência O Dia

A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNit/SG) investiga o caso. O outro suspeito, de 17 anos, que teria fugido com a arma utilizada, um revólver 38, seria morador do Jardim Catarina, em São Gonçalo. Jorge levou um tiro na costela quando entrava em seu carro, estacionado na Rua Marechal Deodoro, no Centro, por volta das 21h30.

“A vítima, ao sair do parque, foi até o carro e percebeu a aproximação dos dois suspeitos. Em seguida, ele colocou a mulher e a filha no veículo e na hora que ele arrancava com o automóvel, o menor de 16 anos disparou. Ele perdeu a direção e bateu no poste”, contou o delegado assistente da DH, Allan Duarte Lacerda.

O adolescente de 16 anos, que efetuou o disparo, foi apreendido em flagrante atrás de um ônibus parado no Terminal Rodoviário João Goulart. Ele teria sido abordado por policiais militares que passavam próximo ao local no momento do crime. O menor foi reconhecido pela esposa da vítima e, segundo os soldados, teria confessado o crime.

Sob revolta e protestos, a vítima foi enterrada ontem no Cemitério do Maruí, no Barreto. Considerado um homem alegre e ligado à família, Jorge era visto pelos amigos como uma pessoa incapaz de fazer mal a alguém. “Ele amava jogar bola e passear com a família. O sorriso era sua marca registrada. Agora mereço morrer porque tenho um celular bom ou um carro novo? É uma brutalidade covarde”, lamentou o amigo Aécio Oliveira.

Crimes em São Gonçalo

Dois homens, acusados de cometer roubos em série, foram presos, após perseguidos por policiais militares, na BR-101, altura do Piscinão de São Gonçalo. O carro em que estavam, um Honda Civic roubado, capotou na fuga. Eduardo Felipe Braga das Neves, de 27 anos, e David Basílio da Silva, 23 anos, roubaram o carro momentos ante e, em seguida, praticaram vários outros roubos a pedestres no bairro Boa Vista, em São Gonçalo.

O poste em que o carro bateu ainda estava caído na Rua Marechal Deodoro nesta segunda-feira. O vidro lateral do carro apresenta marca de tiroFabio Gonçalves / Agência O Dia

Os dois ainda deram carona a uma mulher, que não participou dos crimes, mas que também foi detida após o acidente. A mulher foi levada para a 73ª DP (Neves), com os dois presos. Ela foi ouvida como testemunha. Os rapazes foram reconhecidos pelo dono do carro e autuados em flagrante.

VEJA MAIS

Homem é morto na frente da filha de sete anos em assalto em Niterói

Taxista é esfaqueado durante tentativa de assalto no Fonseca



Últimas de Rio De Janeiro