Funcionários do Degase param atividades e organizam protesto

Cerca de 300 servidores fizeram passeata na Ilha do Governador e reivindicam criação de secretaria socioeducativa

Por O Dia

Rio - Uma série de reivindicações por melhorias para a categoria levou funcionários do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) a organizarem uma passeata no fim da tarde desta segunda-feira, na Estrada do Galeão, na Ilha do Governador, Zona Norte da cidade. Os quase 300 servidores que saíram da Praça do Avião em direção à Ilha, ocupando uma faixa da via, pedem a criação de uma Secretaria Estadual de Atendimento Socioeducativo, equiparação salarial com servidores penitenciários e plano de cargos, carreiras e salários para os funcionários.

Prevista desde assembleia realizada na última quarta-feira, a sinalização de greve dos funcionários se concretizou na virada deste domingo para segunda, quando os profissionais decidiram cruzar os braços. O presidente do sindicato (Sind Degase), João Luiz Pereira Rodrigues foi a reunião com o governador do estado, Luiz Fernando Pezão, também nesta segunda-feira, na qual as pautas seriam apresentadas.

Agentes só farão serviços essenciais

Os servidores do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase) decidiram, em assembleia nesta quarta-feira, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da madrugada da próxima segunda-feira, dia 15.

De acordo com comunicado divulgado pelo sindicato que representa a categoria, Sind Degase, agentes que estiverem de plantão só continuarão a atuar, em unidades fechadas e de semi-liberdade, desempenhando serviços essenciais como alimentação, higiene pessoal e assistência médica dos adolescentes internados na instituição.

Com a decisão pela greve, os servidores deixarão de fazer a transferência de adolescentes de uma unidade para outra, incluindo a realização de audiências. Também serão suspensas a escolta e condução a hospitais para consultas ambulatoriais, fora casos de emergência, visitação aos internos e liberação dos adolescentes para qualquer atividade.

A utilização de viaturas do Degase também ficará restrita a flagrantes de infrações e transporte em caso de emergências médicas. Os piquetes nas portas das unidades serão feitos por funcionários que estiverem de folga, das 6h às 18h.

Últimas de Rio De Janeiro